Skip directly to content

Artrite reumatoide: dor nas articulações que pode levar à incapacidade física

A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença crônica, ou seja, não tem cura, mas os sintomas podem ser controlados. Quem sofre dela pode apresentar inflamação e dor, chegando, em muitos casos , a incapacitar para as atividades do dia a dia.

 

O problema ocorre com articulações, como os dedos das mãos, punhos, cotovelos, ombros, joelhos e até os pés.

 

É também uma doença autoimune, o que significa dizer que faz o organismo, por meio do sistema imunológico, prejudicar a ele mesmo. As causas para que isso aconteça e, consequentemente, a origem da artrite reumatoide, ainda não são conhecidas.

 

Não é uma doença das mais comuns - de acordo com a Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED), atinge de 0,5% a 1,5% da população (sendo três mulheres para cada homem). Ainda assim, é grave o suficiente para que tenha um ano dedicado à conscientização com relação ao problema que representa.

 

A AR geralmente começa a ocorrer entre os 35 e 55 anos, mas crianças e adolescentes também podem sofrer dela, sendo, nesses casos (em que aparece antes dos 16 anos), chamada de Artrite Crônica Juvenil.

 

Como é o diagnóstico da artrite reumatoide

 

Para que os médicos saibam se alguém realmente tem artrite reumatoide, levam em conta, além da conversa com o paciente para saber mais sobre o histórico dos sintomas, uma combinação de sinais característicos da doença, bem como exames físicos, laboratoriais e radiológicos.

 

Sete critérios são levados em consideração, entre eles: artrite em três ou mais áreas e análise do Fator Reumatoide, uma proteína presente no sangue de 80% das pessoas que sofrem com a doença. Quatro critérios devem ser constatados para que a AR seja confirmada. Alguns deles devem estar ocorrendo por, pelo menos, seis semanas. Quem tem dois ou três dos critérios, porém, pode vir a desenvolver AR no futuro.

 

Qualidade de vida pode ser boa, mesmo com a presença da artrite reumatoide

 

O diagnóstico correto e precoce da AR se torna ainda mais importante porque o tratamento deve ser adequado para as características de cada paciente. Se a doença não for cuidada de maneira adequada, pode chegar ao ponto de causar deformidades e levar a pessoa à incapacidade de trabalhar e realizar as atividades do dia a dia.

 

Para definir qual o melhor caminho a ser seguido, o médico considera a intensidade da artrite, a presença de outras doenças (caso do diabetes, por exemplo) e como é o cotidiano do paciente. O tratamento deve ser feito em várias frentes, portanto, além do reumatologista, podem fazer parte profissionais da fisioterapia, terapia ocupacional, enfermagem, psicologia e, em alguns casos, um cirurgião ortopédico e um fisiatra.

 

Medicamentos e cirurgia estão entre as principais alternativas para tratar a artrite reumatoide. Existem, porém, outras questões que podem ajudar na melhora da qualidade de vida. Nem todas podem funcionar para qualquer pessoa que sofra de AR e é essencial sempre consultar um médico antes de qualquer atitude:


• Evitar o excesso de peso ajuda a reduzir a pressão sobre as articulações;
• Mantenha uma dieta com frutas, vegetais e grãos, além de baixo índice calórico e de gordura saturada;
• Massagem e acupuntura podem ajudar a aliviar a dor e diminuir inflamações, mas devem ser feitas sempre com profissionais credenciados;
• Técnicas de relaxamento, como meditação e tai-chi, entre outras, podem ajudar a lidar com a dor; 
• Ler um livro divertido ou assistir a um filme de comédia, bem como ouvir as músicas de que gosta, pode ajudar a relaxar e até tirar o foco da dor;
• Exercícios físicos moderados, feitos regularmente, ajudam a reduzir dor e rigidez das articulações, bem como fortalecem as juntas e os músculos. É importante começar devagar, com atividades de alongamento, passando para levantamento de peso e ciclismo. Sempre com o acompanhamento de profissionais.

 

Referências

 

http://www.arthritis.org/disease-center.php?disease_id=31


http://www.dor.org.br/profissionais/pdf/artrite_reumatoide.pdf


http://www.hospitalsiriolibanes.org.br/pacientes_acompanhantes


http://www.reumatorj.com.br/doencas/artrite.htm


http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/


http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/rheumatoidarthritis.html


http://www.mayoclinic.com/print/rheumatoid-arthritis/


http://www.arthritis.org/common-therapies-to-consider.php


http://nccam.nih.gov/health/RA/#camra


http://www.arthritis.org/how-to-care-for-yourself.php