Skip directly to content

Pequenas irregularidades no ciclo menstrual são normais

Nem sempre o ciclo menstrual dura 28 dias. Pequenas variações, para mais ou para menos, são perfeitamente normais, principalmente nos meses seguintes à primeira menstruação. Algumas garotas levam até três anos para definir um padrão de ciclo – e que, ao longo da vida, nem sempre vai funcionar como um relógio suíço.

 

Por isso, se eventualmente houver alguma mudança no calendário menstrual, contanto que seja passageira e não venha acompanhada de outros sintomas, não há motivo para se preocupar. Vários fatores podem provocar essas flutuações, como o estresse: muitas mulheres, ao serem submetidas a situações de pressão, não menstruam.

 

A mudança de rotina também pode fazer a menstruação adiantar ou atrasar, sem maiores consequências. E há quem, naturalmente, tenha o ciclo mais curto, de cerca de 24 dias, ou mais longo, de 34.  

 

Entretanto, quando a irregularidade é persistente, é preciso investigar.

 

“Dependendo da causa, a irregularidade pode sim ser um problema”, explica a ginecologista Rosa Maria Neme. “Um dos principais é a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), que faz com que a mulher não ovule e não menstrue. A longo prazo, pode levar à infertilidade”, avalia a especialista.

 

Causa pode ser hormonal

 

Além da SOP, há outras complicações hormonais que podem desregular a menstruação, como as alterações da tireóide. Mulheres que produzem hormônio masculino além do normal também costumam apresentar flutuações frequentes no ciclo, além de ganho de peso e crescimento de pelos no corpo. As irregularidades menstruais podem ser, ainda, resultado da baixa ingestão de calorias e do excesso de exercícios.

 

Por isso, é fundamental procurar o médico, que vai traçar a melhor estratégia para descobrir e tratar a causa do descompasso menstrual. Em alguns casos, o uso de anticoncepcionais e sensíveis ajustes de alimentação e estilo de vida são o bastante para acertar o ciclo.

 

“Tudo vai depender da alteração que esteja causando a irregularidade. Caso seja um cisto, por exemplo, ele deve ser tratado com medicamentos ou com cirurgia”, analisa a ginecologista. “Nos casos de ovários policísticos o tratamento é feito com medicamentos hormonais”.

 

Fonte adicional:

 

- The Nemour Foundation
http://kidshealth.org/teen/sexual_health/girls/irregular_periods.html