Skip directly to content

Se você tem pressão alta...

 

 

Como se dá a circulação do sangue?

Quando o seu coração bate, ele se contrai e bombeia sangue e nutrientes para todas as partes do seu corpo. O sangue também é bombeado para os pulmões, onde capta oxigênio e elimina dióxido de carbono. Seu coração e vasos sanguíneos são chamados de sistema cardiovascular ou sistema circulatório. O sangue é bombeado do coração para vasos denominados artérias e é conduzido de volta para o coração através de vasos denominados veias.

O que é pressão arterial?

Quando o seu coração se contrai, o sangue é bombeado para fora e empurrado contra as paredes das artérias, fazendo com que estas se expandam. 

A força com que o sangue é impulsionado contra as paredes arteriais é conhecida como pressão arterial sistólica. Após a contração, o coração relaxa e os vasos sanguíneos se retraem. A medida efetuada neste ponto determina sua pressão arterial diastólica. A pressão arterial de todos os indivíduos sofre elevações e quedas, no decorrer do dia e de dia para dia. Suas atividades diárias ou a maneira como você se sente podem causar alterações em sua pressão arterial. Por exemplo, sua pressão arterial pode subir se você estiver nervoso ou contrariado, e pode diminuir se estiver calmo e relaxado. 

Que mecanismos controlam a pressão arterial?

Um sistema complexo controla o fluxo de sangue e regula a pressão arterial. Se seu corpo não possuísse tal sistema de controle, o sangue correria para os seus pés quando você ficasse em pé, sua pressão cairia, e você desmaiaria. 

Outros fatores que afetam sua pressão arterial: 

• A força e a capacidade do seu músculo cardíaco de bombear sangue; 
• A quantidade total de sangue circulante em seu corpo; 
• O estado geral de suas artérias. 

O que é pressão alta?

É normal a elevação ou a queda de pressão arterial em determinadas situações. A condição de "pressão alta" ocorre se a sua pressão arterial encontra-se quase sempre mais alta que os níveis estabelecidos como normais tanto para os valores sistólicos como para os diastólicos. 

O que é hipertensão?

A pressão arterial elevada também é chamada pelos médicos de hipertensão. "Hiper" na palavra "hipertensão" significa "demais", e "tensão" refere-se à pressão nas paredes das artérias. Algumas pessoas pensam que somente as pessoas tensas ou nervosas podem desenvolver hipertensão. Mas a verdade é que mesmo as pessoas calmas podem ter pressão alta. 

Quais os sintomas de pressão alta (hipertensão)?

A hipertensão quase sempre não produz quaisquer sinais ou sintomas de alerta.  Algumas pessoas podem apresentar sintomas, tais como tontura, sangramentos nasais ou dores de cabeça, que podem ser sinais de hipertensão, mas que também podem ser devido a outros problemas médicos. A grande maioria dos indivíduos nunca sabe que sua pressão arterial está alta até que tal condição seja detectada por um profissional de saúde. 

Por que razão a hipertensão deve ser tratada?

É muito importante que a hipertensão seja tratada e os níveis pressóricos mantidos sob controle. Se sua pressão alta não for controlada, provavelmente ela se tornará mais alta, e quanto mais alta ela se tornar, maior será a probabilidade de você desenvolver sérias complicações, tais como ataque cardíaco, insuficiência cardíaca, acidente cérebro-vascular (derrame) e insuficiência renal. Assim, a razão mais importante de um adequado controle de sua pressão arterial é reduzir o seu risco de desenvolver complicações mais sérias ou mesmo fatais. 

São muitas as variações da pressão arterial durante as 24 horas do dia?

Durante o curso de 24 horas, o qual é chamado de período circadiano, um padrão rítmico de alterações ocorre não somente na pressão arterial, mas também no coração e em outras partes do sistema de circulação e de coagulação do sangue. Normalmente, a pressão arterial tende a diminuir durante a noite, mas depois aumenta durante as primeiras horas da manhã. As pessoas com hipertensão refletem estas alterações, mas a um nível mais elevado de pressão arterial. Muitos especialistas acreditam que as elevações matinais repentinas de pressão arterial podem ser um fator que contribui para ocorrência de ataques cardíacos e outros problemas cardíacos sérios que ocorrem mais freqüentemente nas primeiras horas da manhã. 

O que causa hipertensão? 

Infelizmente, até agora ninguém sabe a causa que leva ao desenvolvimento de hipertensão em aproximadamente 90% dos casos. No entanto, ela é perfeitamente controlável em quase todos estes casos. 

Nos casos em que a causa da hipertensão é desconhecida, a condição é chamada de hipertensão primária. 

Em menos de 10% dos casos, em que a causa é conhecida, a condição é chamada de hipertensão secundária. 

Entre as causas de hipertensão secundária estão certas doenças renais e vasculares, distúrbios hormonais e defeitos congênitos (já presentes ao nascer). Alguns casos podem ser corrigidos por cirurgia ou controlados por medicação. 

Que pessoas desenvolvem hipertensão primária?

Qualquer pessoa pode ter hipertensão ou vir a desenvolvê-la. No entanto, as estatísticas mostram que o desenvolvimento de hipertensão essencial está associado aos seguintes fatores:

História familiar: Algumas famílias tendem a ser suscetíveis ao desenvolvimento de pressão alta. Se ambos os progenitores são portadores de hipertensão, a probabilidade de seus filhos desenvolverem a doença é de aproximadamente 50%. 

Idade: Embora a hipertensão seja mais comum em grupos etários adultos, ela pode ocorrer em qualquer idade. Aproximadamente 50% das pessoas com mais de 64 anos de idade têm hipertensão, e esta geralmente é detectada pela primeira vez entre os 30 e 50 anos de idade. 

Sexo: Antes dos 50 anos de idade, a hipertensão ocorre mais freqüentemente em homens do que em mulheres. Os índices praticamente se equiparam aos 50 anos, mas na faixa de 55 a 60 anos, a incidência é superior na população feminina. 

Raça: Verificou-se que a hipertensão é mais comum em indivíduos negros do que em brancos, entre todos os grupos etários adultos. A um determinado nível de pressão arterial elevada, o risco de complicações é mais alto em indivíduos negros do que em brancos. 

Peso corporal: A pressão alta ocorre com muito maior freqüência em pessoas com excesso de peso e a eliminação deste excesso pode ser acompanhada por uma redução da pressão arterial. 

Sal: Apesar do sal ter uma função na regulação da pressão arterial, a influência que ele pode ter no desenvolvimento da hipertensão ainda não está bem esclarecida. As pessoas que têm tendência ao desenvolvimento de pressão alta apresentam maior probabilidade de manifestá-la ou piorá-la se ingerirem alimentos preparados com muito sal. 

Estresse: Embora ainda não exista nenhuma prova definitiva, alguns estudos médicos relataram haver uma associação entre determinados fatores de estresse e a hipertensão. 

Outros fatores: Outros fatores ou condições que podem estar associados ao desenvolvimento da pressão alta são o sedentarismo (falta de exercício), o consumo de bebidas alcoólicas, o diabetes e o hábito de fumar. 

Como é medida a pressão arterial?

Os profissionais de saúde normalmente medem a pressão arterial com um instrumento chamado esfigmomanômetro. Este instrumento possui um manguito de tecido resistente, uma bolsa inflável de borracha e um manômetro. 

Sua pressão sistólica

Um médico ou enfermeira coloca o manguito em torno do seu braço, acima do cotovelo. A bolsa inflável é apertada para insuflar ar, através de um tubo para dentro do manguito, fazendo com que este se aperte em torno do seu braço e a coluna de mercúrio ou outro tipo de aferidor manométrico seja elevado. O ar é bombeado para o manguito até que este esteja apertado o suficiente para impedir que o sangue da principal artéria da parte superior do seu braço flua para a parte inferior do mesmo. 

Um estetoscópio é colocado sobre o seu braço logo abaixo do manguito. O primeiro som (pancadinha) do sangue, quando ele começa a fluir através da artéria, é ouvido pelo examinador através de estetoscópio. À medida que o ar é liberado, o nível de mercúrio no manômetro também cai. (Alguns instrumentos utilizam manômetros aneróides calibrados (sem coluna de mercúrio). Uma leitura é efetuada ao primeiro som ouvido. Trata-se do som de sangue que está sendo bombeado pela contração ou sístole do seu coração. E ele começa no momento em que a pressão de ar do manguito acha-se ligeiramente mais baixa do que a pressão existente na artéria. 

Esta leitura reflete sua pressão máxima ou sistólica. Pressão arterial sistólica é, portanto, a pressão máxima produzida pelo seu coração e traduz a dimensão da força máxima do sangue contra suas paredes arteriais. 

Sua pressão diastólica

À medida que mais ar é liberado do manguito, o nível de mercúrio no manômetro ou a posição do ponteiro do manômetro aneróide continua a diminuir. Quando a pancadinha não é mais ouvida através de estetoscópio, uma nova leitura é feita neste ponto. Este registro determina sua pressão mínima ou diastólica, que é medida quando seu coração repousa entre os batimentos, traduzindo a quantidade de pressão mínima existente em suas paredes arteriais. 

A determinação de sua pressão arterial

O nível de sua pressão arterial é, portanto, representado por dois números. O primeiro número é o valor de sua pressão sistólica, o segundo é o da pressão diastólica. Ambos os valores pressóricos são determinados em milímetros (mm) de mercúrio (Hg) e podem ser mostrados, por exemplo, como 140/85 mmHg ou mencionados como "quatorze por oito e meio". 

O que é pressão arterial normal?

As diretrizes brasileiras consideram valores até 120/80 mmHg como ótimos para adultos. Valores até 130/85 são considerados normais e até 140/90 são denominados limítrofes. A pressão arterial é considerada elevada quando em repetidas medições permanece igual ou acima de 140/90 mm Hg.

Como é diagnosticada a hipertensão

Conforme mencionado anteriormente, sua pressão arterial pode sofrer várias elevações e quedas durante um único dia e de um dia para outro. Ela é também influenciada por outros fatores, tais como estado de calma ou nervosismo, ou estado de relaxamento ou atividade. 

Sua pressão arterial também pode apresentar-se ligeiramente diferente em cada braço. Portanto, se seu médico suspeita que você tem hipertensão, ele provavelmente tomará as leituras em ambos os braços em sua primeira visita, repetindo a medição dentro de alguns dias ou semanas. 

O braço que mostrar o nível mais alto de pressão geralmente será usado para as futuras medições. Sua pressão certamente também será medida em várias posições, ou seja, em pé, sentada ou deitada, uma vez que os valores diferem ligeiramente nestas três posições. Se estas medições mostrarem que você é portador de hipertensão, seu médico provavelmente investigará a sua história médica, procederá a um exame físico completo, e poderá solicitar alguns exames laboratoriais. 

Sua história médica: Seu médico provavelmente lhe fará algumas perguntas sobre seu estado de saúde anterior e estilo de vida habitual, e suas respostas podem fornecer a ele informações muito importantes sobre sua condição e elementos sobre a melhor maneira de tratá-la.  

Seu exame físico: Podem ser indicados exames para determinar se a hipertensão causou algum dano ao seu coração, vasos sanguíneos, rins ou olhos, e evidência de sinais de uma eventual causa secundária de sua pressão arterial elevada. 

Os vasos sanguíneos existentes nos seus olhos podem proporcionar um dos primeiros sinais de comprometimento, e habitualmente são examinadas pelo médico através de um oftalmoscópio. Estes vasos sanguíneos são os únicos que podem ser visualizados externamente e podem indicar a condição em que se encontram as arteríolas de todo o seu corpo. 

Os sons do seu coração serão avaliados com um estetoscópio, e a detecção de uma alteração do som pode indicar o efeito da pressão alta sobre a ação bombeadora do seu músculo cardíaco. Em presença de pressão alta, o coração pode aumentar de tamanho, e isto pode às vezes ser detectado através de leves pancadinhas sobre o peito e auscultação dos sons. O médico também fará um a ausculta estetoscópia para sinais de presença de líquido em seus pulmões. 

Seu pulso provavelmente será sentido em vários locais do corpo para possível evidência de sinais de redução de fluxo sanguíneo provocada pelo estreitamento de artérias. 

Seu peso também será verificado, e amostras de sangue e urina também poderão ser obtidas para determinadas análises laboratoriais. 

Também é habitual que se faça um eletrocardiograma e uma radiografia do tórax. 

Por que razão o tratamento é tão importante?

Ainda que você se sinta bem sem tratamento, a razão mais importante para o tratamento da hipertensão é impedir as sérias conseqüências que a mesma pode acarretar. Você pode ter hipertensão durante 15 a 20 anos até que os sintomas se tornem manifestos, mas alguma lesão permanente já poderá ter sido desenvolvida em órgãos vitais do seu corpo. De acordo com as estatísticas, mesmo a hipertensão leve pode reduzir sua expectativa de vida. As pessoas com hipertensão são muito mais propensas a desenvolverem ataques cardíacos, acidentes cérebro vasculares, insuficiência renal e lesões vasculares nos membros inferiores e olhos. 

Quais são os objetivos do tratamento?

Os principais objetivos do tratamento são diminuir e controlar sua pressão arterial e reduzir outros fatores de risco que possam contribuir para o desenvolvimento de doenças do coração e de outros órgãos do corpo. Existem dois tipos de fatores de risco, os permanentes não-modificáveis e aqueles que podem ser modificados ou eliminados. 

Os fatores de risco permanentes ou não-modificáveis são: 

• Uma susceptibilidade herdada para hipertensão e problemas cardíacos; 
• Pertencer ao sexo masculino; 
• Ser diabético; 
• Avanço da idade; 

Embora você obviamente não possa modificar ou eliminar quaisquer dos fatores de risco acima mencionados, os relacionados abaixo são alguns dos fatores de risco que você e seu médico podem ajudar a serem modificados para melhorar ou proteger sua saúde geral. 

Os fatores de risco modificáveis incluem: 

• Pressão arterial elevada; 
• Hábito de fumar; 
• Uma alta taxa de colesterol em seu sangue; 
• Excesso de peso; 
• Tensão nervosa e estresse excessivo; 

É preciso esclarecer que o fato de ter alguns ou mesmo todos os fatores de risco acima mencionados não necessariamente implicará no desenvolvimento de um problema cardiovascular sério. 

Que fatores de risco modificáveis apresentam maior perigo?


Todos eles podem ser considerados perigosos porque qualquer um deles pode dar origem ou provocar a piora de um outro, e quanto mais fatores de risco você tiver, maior será o seu risco total. Por exemplo: 

Se você tem hipertensão: A hipertensão pode acelerar o processo de aterosclerose, ou endurecimento das artérias. Quando a pressão arterial é persistentemente alta, ela exerce função contra as paredes arteriais com uma força extra. A camada muscular das paredes arteriais gradualmente se torna rígida e espessa. Elas perdem sua elasticidade, as passagens se tornam mais estreitas e a parede do vaso mais rígida. Os vasos também desenvolvem um acúmulo de gordura ou colesterol. Se você já tiver alguma aterosclerose, a pressão alta piorará ou acelerará o progresso aterosclerótico. Portanto, a aterosclerose torna mais estreitas as aberturas dos vasos, e a parede destes enrijece. Os vasos estreitados produzem elevação da pressão arterial, e gordura é acumulada em suas paredes. Com a continuidade deste ciclo, aumenta o perigo de complicações sérias, tais como doença cardíaca, insuficiência renal e acidente cérebro-vascular. As pessoas com pressão alta são muito mais propensas ao desenvolvimento de doença cardíaca. A maioria de todas as vítimas de acidente cérebro-vascular tinha a hipertensão como fator de risco. 

A pressão alta também faz com que seu coração bombeie com maior força para manter o sangue em movimento, especialmente quando os vasos se encontram estreitados e espessados. O trabalho extra exercido pelo coração pode acabar culminando na perda do poder de bombeamento do músculo cardíaco até este não ter mais força suficiente para manter o sangue circulando. Pode ocorrer congestão ou um acúmulo de líquido no sistema circulatório e resultar em uma doença chamada de insuficiência cardíaca congestiva (ICC). 

Se você tem hábito de fumar: Além do seu efeito prejudicial aos pulmões, o fumo também é prejudicial para o coração e vasos sanguíneos. 

O cigarro

• Estimula o coração, fazendo-o bater mais rápido, e provoca o estreitamento dos vasos sanguíneos dificultando o bombeamento do sangue; 
• Diminui o suprimento de oxigênio para o coração e tecidos do corpo; 
• Torna o sangue mais propenso à formação de coágulos; 
• Provoca batimentos cardíacos "extras" ou irregulares; 
• Produz alterações potencialmente nocivas na quantidade de lípides (gorduras) (descritas abaixo) que circulam em seu sangue. 

As estatísticas médicas mostram que a doença coronariana ocorre mais comumente e de maneira mais grave entre fumantes do que não-fumantes. 

Os fumantes apresentam maior propensão a sofrerem ataques cardíacos e sua recuperação é geralmente mais difícil. 

Se seu sangue tem altas taxas de colesterol e em outras gorduras: Certos tipos de substâncias gordurosas são elaboradas no próprio corpo e normalmente transportadas pela corrente sanguínea. Estas substâncias se chamam lípides, e uma delas é colesterol, que também é encontrado em muitos alimentos. A ingestão de alimentos ricos em colesterol pode aumentar a quantidade deste em seu organismo. 

Embora o corpo necessite de uma certa quantidade de colesterol e de outros lípides, uma quantidade excessiva destas lipoproteínas pode causar problemas. Quando elas fluem através da corrente sanguínea, elas podem aderir às paredes arteriais. As estatísticas mostram que um nível elevado de colesterol no sangue é a principal causa de aterosclerose, e quanto mais alto o nível de colesterol no seu sangue, maior será a probabilidade de desenvolvimento de doença cardiovascular. (Saiba mais sobre colesterol elevado na opção “Colesterol” do menu principal). 

O que é aterosclerose?

As paredes internas de vasos sanguíneos normais são lisas e flexíveis, e o sangue flui através delas para as diferentes partes do corpo. A medida que as pessoas vão envelhecendo, as gorduras e outros substâncias transportadas pelo sangue se acumulam formando depósitos sobre a parede vascular chamados de placa. Esta placa é conhecida como placa aterosclerótica. À medida que tais depósitos vão se tornando maiores, a passagem no interior dos vasos se torna estreita ou bloqueada. A aterosclerose é uma doença lenta e progressiva que pode começar na infância. 

Normalmente leva anos para que a placa se forme no interior de uma artéria do corpo. A aterosclerose pode levar a muitos tipos de problemas circulatórios. Dois dos principais problemas decorrentes de aterosclerose são ataques cardíacos e acidentes cérebro-vasculares. A aterosclerose tende a ser um problema particularmente importante quando se desenvolve nas artérias coronárias, que transportam sangue para a parte mais profunda do músculo cardíaco. Se a placa é formada no interior destas artérias e o sangue não puder chegar ao coração, o músculo cardíaco pode ver-se privado do oxigênio transportado pelo sangue. 

Quando a aterosclerose envolve uma ou mais das artérias coronárias, a doença recebe o nome de insuficiência coronária. 

A insuficiência coronária é sem dúvida a principal causa de sérios problemas cardíacos, tais como angina pectoris (dor no peito decorrente de doença cardíaca) e infarto do miocárdio (ataque cardíaco). A angina pectoris, ou angina, ocorre quando o coração é temporariamente privado de oxigênio. Um infarto do miocárdio pode ocorrer quando o músculo cardíaco obtém muito pouco ou nenhum oxigênio por um determinado período de tempo. A área do músculo cardíaco que perde seu suprimento de oxigênio fica permanentemente lesada, e as células do músculo cardíaco circunscritas a essa área morrem. 

Se você tem excesso de peso 

O peso em excesso impõe uma carga extra de trabalho ao seu coração. Mesmo quando em repouso, um corpo com peso em excesso precisa esforçar-se para respirar porque necessita maior quantidade de oxigênio. 

Segundo as estatísticas: 

• O índice de ataques cardíacos entre pessoas com peso em excesso é maior que o observado entre pessoas com peso normal;
• O risco de morte ou de doença cardíaca grave aumenta em relação direta ao grau de peso em excesso; 
• Os indivíduos com peso em excesso são muito mais propensos ao desenvolvimento de hipertensão, e com freqüência apresentam elevados níveis de colesterol e outros lípides associados a um risco aumentado de problemas cardíacos. 

Se você está estressado

O estresse pode resultar de pressões externas, tais como problemas profissionais e familiares, ou de causas internas, tais como preocupações ou depressão emocional. Durante períodos de estresse, seu corpo pode reagir de uma maneira em que seu coração bate mais rapidamente, e sua pressão arterial sobe. No entanto, estas alterações podem não ser percebidas por você. 

O que é necessário para controlar a hipertensão e proteger-se de problemas cardiovasculares sérios?

Duas das mais importantes necessidades neste sentido: 

1. A motivação em se auto-ajudar lembrando-se sempre que, ainda que sua hipertensão seja leve e você esteja "se sentindo bem", você não deixa de estar vulnerável a doenças cardiovasculares mais graves. 

2. Seguir as recomendações e os conselhos do seu médico e de outros profissionais da saúde no que diz respeito a medicações, dieta e outras medidas auxiliares de tratamento. 

Como a hipertensão pode ser reduzida e controlada sem drogas?

Muitos indivíduos podem reduzir sua pressão arterial sem drogas, com a simples eliminação do peso em excesso, restrição na ingestão de sal, e aprendendo a dominar o estresse. Se você é portador de hipertensão leve, a adoção das medidas acima pode ser suficiente para trazer a sua pressão arterial à faixa considerada normal, e provavelmente não precisará de nenhum medicamento. Para outros, a hipertensão poderá requerer o uso de algumas drogas iniciais ou doses reduzidas de medicamentos.

Se você precisa perder peso

Se o seu peso é normal, é importante que continue como está. No entanto, se estiver com excesso de peso, seu médico provavelmente lhe aconselhará a adoção de um regime adequado.

As estatísticas mostram que a redução do peso em excesso geralmente contribui para a redução da pressão arterial, e quando o peso extra não é readquirido, a pressão arterial normalmente permanece estável. 

Se você precisa fazer uma dieta

Os hábitos alimentares contrários à boa saúde são a razão mais provável da obesidade, e geralmente são difíceis de mudar, particularmente sem o aconselhamento e orientação adequadas de médicos, enfermeiras e nutricionistas. 

Os especialistas em cuidados com a saúde podem ajudá-lo e aconselhá-lo sobre: 

• Como mudar seus hábitos alimentares; 
• Estabelecer metas realísticas com relação à quantidade de peso que você deve perder em base semanal ou mensal; 
• Que tipos de alimentos evitar e aqueles que lhe serão benéficos; 
• planejamento de refeições adequadas de nada perderiam em sabor e satisfação; 
• E as razões pelas quais a maioria das dietas da moda, dietas de impacto, e recursos emagrecedores raramente ajudam, especialmente por um longo período de tempo. 

A maneira mais segura e mais fácil de perder peso e de não recuperá-lo é com autocontrole, orientação adequada, e com uma mudança gradual, mas duradoura, nos seus hábitos alimentares. (Saiba mais na opção “Vida Saudável” do menu principal). 

Se você precisa reduzir a ingestão de alimentos ricos em colesterol e gorduras saturadas

A ingestão de certa quantidade de colesterol e de outras gorduras encontradas em alimentos é essencial para energia e uma boa saúde geral. No entanto, a quantidade e o tipo de gordura em sua dieta devem ser controlados porque a quantidade que você come afeta seu peso, e o tipo de gordura afeta seu nível de colesterol. Além do colesterol, existem dois outros tipos de gordura nos alimentos que podem alterar o nível de colesterol no seu sangue. 

Existem gorduras saturadas (encontradas em carnes, manteiga, margarina e em alguns óleos vegetais) que podem aumentar as concentrações de colesterol no sangue, e existem gorduras insaturadas (por exemplo, em óleo de milho, óleo de oliva e óleo de peixe) que podem ajudar a reduzir o colesterol sanguíneo, Portanto, para reduzir seu peso e melhorar o equilíbrio do seu colesterol sanguíneo, é importante seguir as recomendações do seu médico ou de outros conselheiros dietéticos. 

Se você restringir sua ingestão de sal

O tratamento de hipertensão geralmente inclui uma certa restrição de sal na alimentação. Alguns indivíduos respondem bem à simples redução na ingestão de sal. Na necessidade de uma medicação, a restrição de sal pode aumentar sua eficácia. Portanto, considera-se importante que as pessoas portadoras de hipertensão ou com uma tendência a desenvolvê-la diminuam a quantidade de sal em suas dietas. 

A redução em sua ingestão diária de sal (sódio) pode ser feita com facilidade com o seguimento de algumas orientações simples, a saber: 

· Alimente-se com carnes, vegetais e frutas frescas, ao invés de alimentos industrializados; 
· Leia atentamente aos rótulos de alimentos e bebidas enlatadas ou industrializados e evite aqueles que contenham um alto teor de sal ou "sódio"; 
· Adicione muito pouco ou nenhum sal no preparo dos alimentos e, ao invés disso, experimente temperá-los com ervas ou suco de limão; 
· Evite alimentos mais salgados, tais como bacon, lingüiças e salsichas, picles, mostarda e determinados tipos de queijos. 

Seu médico ou um nutricionista pode orientá-lo sobre o conteúdo de sal (sódio) de diferentes alimentos e aqueles que você deve evitar ou limitar em sua dieta. 

Os alimentos podem parecer insossos ou menos saborosos, particularmente no início de uma dieta com restrição de sal. Após algum tempo, entretanto, muitas pessoas passam a achar que os alimentos são mais agradáveis ao paladar sem a adição de sal. Substitutos isentos de sódio também estão disponíveis e podem ser usados com permissão de seu médico. 


Algumas orientações habituais são:

• Evitar alimentos ricos em colesterol, tais como gema de ovo, carnes gordas e miúdos (fígado e rins)
• Evitar ou reduzir a ingestão de alimentos ricos em gorduras saturadas, incluindo produtos de origem animal e laticínios, tais como carnes, creme de leite, queijo e manteiga;
• Tenha em sua dieta alimentos que contenham gorduras insaturadas, incluindo produtos vegetais, tais como óleo de milho, óleo de soja e outros óleos vegetais, mas não óleo de coco ou gordura de coco porque são ricos em gorduras saturadas.

Se você fuma

Conforme mencionado anteriormente, o fumo provoca o estreitamento dos vasos sanguíneos, o que por sua vez, tende a aumentar a pressão arterial. Entretanto, com a eliminação do hábito de fumar, seu coração e pulmões começarão a funcionar melhor, e todo o seu corpo será beneficiado. 

Embora muitos fumantes de longa data achem que em nada ajudará o deixar de fumar porque um estrago muito grande já ocorreu, eles estão enganados. 

Um ano depois que você deixou de fumar, seu risco extra de sofrer um ataque cardíaco diminuirá em cerca de 50%. O risco de morte por outras doenças também será reduzido com o tempo. 

Qualquer que seja sua idade ou o tempo que fumou em sua vida, parar com este hábito agora pode melhorar sua saúde geral e aumentar sua expectativa de vida. 

Se você tem estresse excessivo

O saber como evitar ou aliviar o estresse pode beneficiar direta ou indiretamente algumas pessoas com pressão alta. Um benefício direto pode ser a redução da pressão arterial, e um benefício indireto pode ser a tentativa de "sentir-se melhor" física e emocionalmente. Embora seja praticamente impossível para qualquer pessoa evitar completamente o estresse, você pode tentar reduzi-lo e controlá-lo reagindo realística e moderadamente a sua causa.Tanto a reação super-extremada como a total negligência à causa do estresse podem verdadeiramente conduzir a um estresse ainda maior. É, portanto, importante entender a seguir as sugestões do seu médico ou de outro especialista sobre a maneira de evitar e aliviar o estresse e de conseguir um bom relaxamento.


É útil a prática de exercício?

Exercitando-se regularmente de acordo com um programa que deve ser sugerido pelo seu médico ou outro especialista apropriado: 

• Seu coração bombeará sangue mais eficientemente, sua circulação melhorará, e sua pressão arterial provavelmente será reduzida; 
• Seus níveis sanguíneos de colesterol e de outros lípides podem ser melhorados e, portanto, possivelmente isso desacelerará o desenvolvimento de aterosclerose; 
• Sua força física e tônus muscular melhorarão facilmente, e, assim, você não se cansará e estará em condições de ter uma vida mais ativa; 
• Seu estado mental pode melhorar e permitir que você enfrente melhor o estresse, relaxe mais facilmente e durma melhor. 
• Seu peso pode ser controlado mais facilmente com uma dieta equilibrada e adequada. 

Quando é necessário o uso de medicamentos para controlar a pressão arterial?

Determinadas drogas podem ser prescritas para reduzir sua pressão arterial se ela estiver elevada e não puder ser trazida para os níveis normais com a simples instituições de restrições dietéticas e/ou outras medidas de tratamento que não incluem o uso de medicamentos. 

Se o médico prescrever medicação para o controle de sua hipertensão, é importante que você a tome exatamente conforme recomendado. E importante não falhar nenhuma dose porque, embora você possa estar se sentindo bem, sua pressão arterial pode subir a qualquer momento. 

Quais os medicamentos usados para controlar a pressão arterial?

Diferentes tipos de medicamentos são usados, e eles agem sobre as diferentes partes do sistema orgânico que regula a pressão arterial. Os diferentes tipos são usados para diferentes finalidades, e o tipo a ser usado normalmente depende da condição e das necessidades do paciente hipertenso. Entretanto, alguns medicamentos funcionam melhor em determinadas pessoas e podem não atuar muito bem em outras. Algumas pessoas podem precisar de uma combinação de dois ou mais medicamentos, e a quantidade de um medicamento que seria mais benéfica normalmente varia de uma pessoa para outra. 

Os diferentes tipos de medicamentos anti-hipertensivos amplamente usadas em nossos dias são os seguintes: 

Diuréticos: Os medicamentos pertencentes a este grupo são geralmente chamados de pílulas para urinar. Eles agem inicialmente produzindo a eliminação de sal e água do organismo através da urina. Elas reduzem a quantidade de líquido circulante na corrente sangüínea, o que, por sua vez, reduz a pressão existente nas artérias. Se seu médico lhe prescrever um diurético, você provavelmente precisará urinar mais freqüentemente que o habitual, pelo menos durante vários dias. Embora todos os diuréticos produzam basicamente o mesmo efeito, diferentes tipos variam em seu modo de ação e em sua rapidez de efeito. 

O tratamento diurético pode reduzir a quantidade de potássio presente em seu sangue, de modo que seu médico pode precisar instituir uma suplementação de potássio. Assim, se você toma diuréticos (sozinhos ou em combinação com outras drogas), é aconselhável a supervisão periódica de um médico a fim de que ele possa avaliar os efeitos do tratamento. 

Beta-bloqueadores ou Alfa-bloqueadores: Conforme mencionado anteriormente, dois fatores que estão relacionados a pressão arterial e que influem sobre a mesma são a força de contração do músculo cardíaco e a situação em que se encontram os vasos sanguíneos. Os beta-bloqueadores são usados para reduzir a pressão arterial porque eles bloqueiam os sinais emitidos por certos tipos de nervos que estimulam o mecanismo responsável pela freqüência cardíaca e a força de contração do coração. Isto resulta em uma redução da pressão do sangue que está sendo bombeado, reduzindo assim a pressão arterial. Os alfa-bloquadores bloqueiam outros tipos de sinais nervosos que fazem com que os vasos sanguíneos se contraiam e se estreitem. Estas drogas, portanto, reduzem a pressão arterial por relaxar e ampliar a luz dos vasos sanguíneos para permitir que o sangue flua através dos mesmos, com menos resistência e pressão. 

Inibidores da ECA: Os inibidores da ECA (enzima conversora de angiotensina) reduzem ou inibem a produção endógena (pelo próprio organismo) de uma substância chamada angiotensina. A angiotensina provoca o estreitamento dos vasos sanguíneos. Com a inibição da produção desta substância, os vasos se relaxam facilitando a passagem do fluxo sangüíneo e produzindo, conseqüentemente, uma redução na pressão arterial. 

Antagonistas do cálcio: Os antagonistas do cálcio também são medicamentos usados no tratamento da hipertensão. Eles funcionam basicamente por bloquearem a entrada de cálcio nas células dos vasos sanguíneos. Quando o cálcio atinge uma determinada concentração na célula, ele passa a atuar no processo de contração ou estreitamento dos vasos. Assim, os antagonistas do cálcio reduzem a pressão arterial com sua ação dilatadora sobre os vasos, tornando mais fácil a passagem do fluxo sangüíneo através do sistema circulatório. 

Pelo fato dos antagonistas de cálcio facilitarem o fluxo de sangue e de oxigênio através das artérias coronárias, eles também são usados no tratamento de problemas cardíacos, tais como angina e distúrbios relacionados em que a circulação de sangue e oxigênio é inadequada. 

Bloqueadores dos receptores da angiotensina II: Os bloqueadores dos receptores da angiotensina II são a classe mais recente de anti-hipertensivos. Eles agem inibindo a ligação da angiotensina II aos seus receptores, que estão localizados nos vasos sanguíneos. A angiotensina II é um dos mais potentes agentes vasoconstritores, ou seja, que causam a contração do vaso sanguíneo e, consequentemente, a elevação da pressão arterial. Ao ter sua ação bloqueada, o vaso se dilata e a pressão diminui. 

Que tipo de medicamento seria mais adequado para o seu caso?

Se você tem hipertensão, a prescrição de uma única ou mais drogas dependerá de sua condição e de outros fatores. 

Os médicos geralmente iniciam o tratamento com a prescrição de uma baixa dose de uma só droga e verificando sua resposta após um curto período de tempo. 

A dose pode ser aumentada ou um diferente tipo de medicamentos pode ser então prescrito se a redução desejada em uma pressão arterial não for obtida dentro de um determinado tempo, ou se a medicação original causar excessivos efeitos colaterais. Se este tratamento não obtiver o efeito desejado, um segundo, ou às vezes até um terceiro medicamento poderá ser acrescentado. Depois que sua pressão arterial estiver controlada dentro de uma faixa segura, o médico pode prescrever outras mudanças em sua medicação para tornar o tratamento mais fácil e mais conveniente para você. A meta ideal é reduzir e manter um controle contínuo de sua pressão arterial com o menor número de drogas a um nível de dosagem mínima eficaz e sem causar efeitos colaterais incômodos. 

Quais os efeitos colaterais dos diferentes medicamentos anti-hipertensivos?

A maioria dos medicamentos prescritos para hipertensão pode produzir alguns efeitos colaterais, mas muitos destes efeitos são leves e transitórios, ou até imperceptíveis. No entanto, algumas pessoas interrompem o tratamento ao experimentarem até mesmo um mínimo efeito colateral. Parar repentinamente um tratamento pode ser perigoso, uma vez que a hipertensão pode causar dano permanente a órgãos vitais do seu corpo. É, portanto, importante que você entenda a razão pela qual podem ocorrer efeitos colaterais e de que maneira eles podem ser evitados ou reduzidos a um ponto em que se tornem praticamente imperceptíveis, permitindo que você continue o tratamento. 

Muitos efeitos colaterais de medicamentos anti-hipertensivos desaparecem dentro de alguns dias após o início do tratamento, quando o seu corpo se torna acostumado com as alterações que possam ocorrer. Se os efeitos colaterais persistirem, eles podem ser reduzidos ou inteiramente eliminados com a redução da dose ou com a mudança para uma outra droga, de acordo com a decisão médica.  

Os medicamentos que reduzem a pressão arterial podem fazê-lo de uma maneira mais rápida em algumas pessoas, especialmente no início do tratamento. A queda repentina na pressão arterial pode fazer com que tais pacientes sintam tonturas ou sensação de desmaio. 

Tal efeito pode acontecer somente após a primeira dose e antes de seu organismo se acostumar ao novo estado de pressão arterial mais baixa. 

Pelo fato do álcool também apresentar uma tendência em reduzir a pressão arterial, as bebidas alcoólicas devem ser evitadas, especialmente nos estágios iniciais do tratamento com anti-hipertensivos. Outros efeitos colaterais de menor preocupação, tais como cansaço, nariz entupido e secura na boca podem ocorrer, mas eles geralmente desaparecem após os primeiros dias de tratamento. 

Outros tipos de efeitos colaterais causados por determinados medicamentos são, alterações de humor, depressão, desconforto muscular ou cãibras nas pernas, diminuição do desejo sexual, inchaço das pernas ou dos pés, tosse e dor de cabeça. 

No entanto, conforme mencionado anteriormente, a maioria dos efeitos colaterais que podem ser causados por anti-hipertensivos pode ser evitada por ajuste nas doses ou mudança do medicamento. 

Se você precisar tomar medicamentos para outros problemas cardíacos?

Se você tem hipertensão e toma medicamentos para controlá-la é recomendável falar com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer outra droga destinada ao tratamento de uma outra doença, em virtude de razões que incluem as seguintes: 

Certos medicamentos, tais como remédios contra resfriado, pílulas dietéticas, descongestionantes e inalantes nasais, laxantes e antiácidos podem inibir ou estimular a ação das drogas que você esta tomando para o tratamento da sua hipertensão. 

Para evitar problemas desnecessários, as únicas medicações que você deve tomar são aquelas prescritas ou aprovadas pelo seu médico para você. 

O que você deve saber sobre sua medicação?

Quando um medicamento destinado ao tratamento de hipertensão ou de outra doença relacionada é prescrito ou aprovado para que você o tome, você deve saber: 

• Seu nome, por que você o está tomando, a forma como ele deve ser tomado e o que ele faz em seu benefício; 

• Seus possíveis efeitos colaterais e o que você deve fazer caso algum deles vier a ocorrer; 

• Se não é seguro tomá-lo com outros medicamentos ou se ele interfere no mecanismo de ação de outras medicações que você está tomando ou poderia tomar para a mesma doença ou para uma doença diferente; 

• Se determinados alimentos, bebidas alcoólicas ou certas atividades, tais como dirigir, devem ser evitadas ao tomar a medicação. 

Qual a melhor maneira de conviver com a hipertensão?

Se você for informado de que é portador de hipertensão e precisa de tratamento: 

• Inicie o tratamento e continue com ele mesmo que possa estar se sentindo bem, porque a hipertensão pode facilmente conduzir a problemas muito mais sérios se não for tratada e controlada. Tome sua medicação todos os dias. 

• Lembre-se de que os benefícios proporcionados pelo controle de sua pressão arterial superam em muito qualquer possível desconforto leve ou temporário produzido por efeitos colaterais que podem ser causados pela medicação; 

• Não se desestimule pelo fato de você precisar tomar a medicação indefinidamente; 

• Estabelecendo e mantendo hábitos mais benéficos relacionados a sua dieta ou estilo de vida você poderá reduzir ou eliminar a necessidade de tomar medicamentos para o controle da pressão arterial; 

• Melhore seu estado físico e emocional; e o mais importante: Ajude a si mesmo a viver uma vida mais saudável e muito mais longa. 

Referências:

Harrison's Principles of Internal Medicine, 15th Ed 2001; McGraw-Hill. 

IV Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. SBH. SBC. SBN. Arq Bras Cardiol. 2004 Mar;82 (Supl IV):7-22. 

III Diretrizes Brasileiras Sobre Dislipidemias e Diretriz de Prevenção da Aterosclerose do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Arq Bras Cardiol 2001;77 (supl III):1-48. 

Third Report of the National Cholesterol Education Program (NCEP) Expert Panel on Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Cholesterol in Adults (Adult Treatment Panel III) final report. Circulation. 2002 Dec 17;106(25):3143-421. 


As informações sobre saúde contidas neste site são fornecidas somente para fins educativos e não pretendem substituir, de forma alguma, as discussões estabelecidas entre médicos e pacientes.

Em caso de dúvidas, favor contatar o Fale Pfizer através do telefone 0800-16-7575 (de segunda a sexta-feira das 8h00 às 20h00).

"Não tome nenhum medicamento sem o conhecimento de seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde".

Todas as informações contidas neste site são destinadas ao público brasileiro