Skip directly to content

Síndrome Pré-Menstrual (SPM) / Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM)

A síndrome pré-menstrual (SPM) é uma combinação de sintomas emocionais, comportamentais e físicos que ocorrem 1 a 2 semanas antes da menstruação e que melhoram após o início da mesma. Mais de 100 sintomas pré-menstruais foram descritos para a síndrome. Os sintomas mais comumente relatados incluem irritabilidade, depressão, ansiedade, sensação de perda de controle, aumento de apetite com desejo voraz por determinados alimentos, fadiga, dificuldade de concentração, seios doloridos e aumento de volume abdominal.

Aproximadamente 75% das mulheres experimentam sintomas leves a moderados durante alguns dias da fase pré-menstrual, sendo que até 10% podem sofrer de sintomas mais intensos. Esta forma mais severa de síndrome pré-menstrual foi denominada de transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM) e é caracterizada por sintomas que podem estar presentes na síndrome pré-menstrual, como a depressão,  irritabilidade, ansiedade, dificuldade de concentração, distúrbios do sono e do apetite, retenção de líquidos e dor no seio, porém com maior intensidade e que resulta na piora do desempenho social e profissional além da piora da qualidade de vida. Da mesma forma que na síndrome pré-menstrual, os sintomas ocorrem durante duas semanas antes do ciclo menstrual e regridem com o início da menstruação.

As causas deste transtorno estão relacionadas com as alterações da transmissão de neurotransmissores, substâncias que permitem a comunicação entre as várias regiões do sistema nervoso. Dentre estes neurotransmissores a serotonina assume importância de destaque. Os agentes que inibem a recaptação da serotonina são eficazes para a melhora dos sintomas do TDPM.

Formas de tratamento e tratamentos disponíveis.

Os métodos mais comuns de tratamento são os contraceptivos orais, analgésicos, aconselhamento dietético, psicoterapia, vitaminas, sais minerais, antidepressivos e/ou ansiolíticos.

Referências
 

Kaplan & Sadock's pocket handbook of clinical psychiatry. Sadock and kaplan, eds. 2001. Editora Lippincott Williams & wilkins.

 

Essential psychopharmacology (essential psychopharmacology series). Stephen m. Stahl et al. 2004. Cambdrge university press.

 

Ebmeier kp et al. Recent developments and current controversies in depression. Lancet. 14;367(9505):153-67. 2006

 

Rupke sj et al. Cognitive therapy for depression. Am fam physician. 1;73(1):83-6. 2006

 

Brookman rr. Disorders of mood and anxiety in adolescents. Adolesc med clin. 17(1):79-95. 2006

 

Lader m. Management of panic disorder. Expert rev neurother. 5(2):259-66. 2005

 

Merlo lj et al. Obsessive-compulsive disorder: tools for recognizing its many expressions. J fam pract. 55(3):217-22. 2006

 

As informações sobre saúde contidas neste site são fornecidas somente para fins educativos e não pretendem substituir, de forma alguma, as discussões estabelecidas entre médicos e pacientes. O diagnóstico de qualquer doença só pode ser realizado por um profissional de saúde. Somente o profissional de saúde pode ajudá-lo a decidir pela melhor opção de tratamento.

Em caso de dúvidas, favor contatar o Fale Pfizer através do telefone 0800-16-7575 (de segunda a sexta-feira das 8h00 às 20h00).

"Não tome nenhum medicamento sem o conhecimento de seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde".

Todas as informações contidas neste site são destinadas ao público brasileiro.