Skip directly to content

Fitoesterois ajudam a reduzir o colesterol

Encontrados em alimentos de origem vegetal, os fitoesterois podem ser mais um importante aliado na prevenção de doenças cardiovasculares, e, quando ingeridos, ajudam a reduzir significativamente o nível de colesterol ruim no sangue (LDL), evitando entupimento dos vasos sanguíneos.

 

Entre as principais fontes de fitoesterois estão as amêndoas, nozes, amendoins, sementes de girassol, milho, feijões, sementes de girassol, soja, canola, óleos vegetais, além de frutas como o abacate, verduras e legumes. “No entanto, hoje encontramos alguns alimentos enriquecidos industrialmente com essas substâncias, como os cremes vegetais, iogurtes e leite”, afirma Roseli Rossi, nutricionista especializada em nutrição clínica funcional da Clínica Equilíbrio Nutricional.

 

Ação e eficácia

 

Os fitoesterois e o colesterol apresentam funções e estrutura bastante semelhantes, o que acaba provocando competição entre eles durante o processo de digestão. No intestino, os fitoesterois impedem que boa parte da gordura seja absorvida pelo organismo, e ambos são eliminados nas fezes. “Existem algumas evidências de que os fitoesterois podem potencializar a ação de estatinas e fibratos, que são fármacos normalmente utilizados no tratamento de hipercolesterolemia”, afirma Adelia Faria-Machado, pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos.

 

“Os efeitos da ingestão de fitoesterois podem, indiretamente, contribuir para a prevenção de doenças cardíacas. Sabemos que para redução média de 10% a 15% do colesterol LDL é necessária a ingestão de 2 gramas de fitoesterois por dia”, afirma Hermes Xavier, presidente do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

 

A importância da dieta balanceada

 

Entretanto, a concentração da substância na refeição diária está bem longe da quantidade necessária para se obter uma redução significativa de colesterol. Uma dieta balanceada com quantidades adequadas de vegetais fornece aproximadamente de 200 mg a 400 mg de fitoesterois apenas. “Nas dietas vegetarianas a quantidade é cerca de 50% maior”, observa a pesquisadora da Embrapa.

 

 “No entanto, podemos contar com alimentos funcionais enriquecidos que possuem a quantidade adequada de fitoesterois, e podem oferecer o benefício com apenas duas porções diárias”, garante a nutricionista Roseli Rossi.

 

Por outro lado, a pesquisadora Adelia ressalta que estudos comprovam que o consumo de altas doses de fitoesterois reduz significativamente os níveis sanguíneos de carotenoides (que dão origem à vitamina A) e, em menor proporção, de outros nutrientes essenciais. “Portanto, é importante ter cuidado com esses aspectos ao aumentar a quantidade de fitoesterois na dieta”.

 

“Os fitoesterois têm o seu papel na redução do colesterol, mas devemos ressaltar que os benefícios de uma dieta saudável são determinados pela combinação de vários nutrientes, incluindo carboidratos, proteínas e gorduras monoinsaturadas”, enfatiza Hermes. Vale lembrar que alimentos ricos em ômega 3 (encontrado em salmão, sardinha e linhaça), magnésio (sementes, legumes e tofu) e fibras solúveis (aveia, feijões e cenoura) também são fortes aliados na prevenção de doenças cardíacas.

 

Fontes:

 

- Roseli Rossi, nutricionista especializada em nutrição clínica funcional da Clínica Equilíbrio Nutricional

 

- Hermes Xavier, presidente do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia

 

- Adelia Faria-Machado, pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos