Skip directly to content

As mil e uma atividades do farmacêutico

O farmacêutico tem habilidades que muita gente desconhece. De acordo com o Conselho Federal de Farmácias (CFF), estes profissionais podem atuar em 71 áreas distintas. São eles que, com a receita em mãos, esclarecem as dúvidas dos pacientes quanto aos medicamentos, sejam de venda livre ou de prescrição (que precisam de receita médica).

 

Mas, os farmacêuticos atuam não só nas redes de farmácias e drogarias. Este especialista tem se mostrado cada vez mais presente no desenvolvimento de produtos e diagnósticos, nas análises toxicológicas e dermatológicas, no controle ambiental, higiene, segurança no trabalho, educação, alimentos, cosméticos etc.

 

Eles também assumem diferentes responsabilidades no setor industrial: desde pesquisas com novos fármacos até a produção e o controle de qualidade, registro de novos produtos junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e distribuição de medicamentos.

 

O profissional de farmácia e seus diversos papéis

 

Farmácias e drogarias: O farmacêutico pode dar explicações que possam evitar efeitos colaterais e reações adversas, como intoxicações, ajudando a reduzir conseqüências negativas por conta do uso incorreto de medicamentos, incentivando o uso racional de medicamentos.

 

Após breve entrevista com o paciente, para obter um perfil medicamentoso, o farmacêutico vai verificar se a receita está completa, observando as indicações do médico quanto à dose, via de administração, duração do tratamento, relação com a alimentação e com outros remédios que o paciente já toma.

 

Análises Clínicas e Toxicológicas: Este profissional possui conhecimentos técnicos, farmacológicos e bioquímicos para atuar com sucesso no mercado laboratorial. Também opera em exames toxicológicos em atletas e animais (antidoping) e controle da poluição ambiental.

 

Pesquisas clínicas: Os farmacêuticos estão envolvidos no processo de investigação científica sobre medicamentos, procedimentos ou métodos de abordagem de problemas que afetam a saúde do homem. Este profissional atua, geralmente, nas diversas fases de pesquisa do medicamento, vacina ou diagnóstico.

 

Indústria: O profissional de farmácia é responsável pela pesquisa, produção, desenvolvimento, controle de qualidade e das reações adversas (farmacovigilância), fatores que deverão comprovar a eficácia do medicamento ou produto e prevenir os riscos de efeitos adversos dos remédios. É o farmacêutico também que assessora os serviços de atendimento ao consumidor (SACs), esclarecendo as dúvidas do paciente.

 

É na indústria que este profissional auxilia a desenvolver tecnologias para o controle de pragas e alimentos (agricultura). O farmacêutico atua, ainda, na industrialização de medicamentos alopáticos, fitoterápicos e homeopáticos, além da área cosmética.

 

Distribuição e transportes: Nesta área, é o responsável pelo suporte técnico que garante o modo correto de recebimento, transporte e armazenamento de medicamentos vindos, inclusive, do exterior. Confere documentação, gerencia estoques, estando atento para aspectos como lote, validade etc. É o profissional de farmácia que garantirá o resultado do produto final quando forem colocados no mercado para consumo da população.

 

Saúde Pública: Se faz cada vez mais necessária a assistência farmacêutica no setor público, como postos de saúde, Unidades Básicas de Saúde (USB) e hospitais, auxiliando na orientação e acompanhamento do tratamento, com a devida vigilância sanitária.

 

Resíduos: O profissional controla e emite a documentação necessária para a liberação e descarte de resíduos de medicamentos perigosos. É o responsável por todo processo de tratamento, armazenamento e destino do material.


Fontes:


- Conselho Federal de Farmácias (CFF)
- Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP)