Skip directly to content

Baixa estatura: como identificar e tratar?

Você acha que crescimento do seu filho não está normal? O endocrinologista pediátrico pode identificar se ele tem alguma deficiência no crescimento e, assim, escolher o tratamento mais adequado. Mas, antes de procurar o médico, é importante saber quais são os sinais que podem indicar que o seu filho tem mesmo problemas de crescimento.

A média de crescimento das crianças no primeiro ano de vida é de 25cm, já no segundo é de 12cm. No terceiro ano, a média cai para 7 ou 8cm e, a partir dos quatro, a média é de 5 a 7cm. Antes de entrar na puberdade, o crescimento desacelera. Mas, durante essa época, pode chegar a ser de 10 a 12 cm por ano. Depois, volta a diminuir, até terminar. Geralmente, uma pessoa para de crescer entre os 15 e 20 anos.

Até os primeiros dois anos, a nutrição é o fator mais importante no crescimento. Depois dessa idade, fatores genéticos (como a altura dos pais) e o hormônio do crescimento (GH) passam a determinar a altura. Mas não só eles: alimentação, atividade física, doenças, uso de medicamentos e fatores psicológicos também influenciam.

A deficiência no GH é uma das principais causas da baixa estatura e pode ser causada por vários fatores, entre eles, complicações na hora do parto. Por exemplo, se a posição da criança na hora do parto é sentada, ou seja, a cabeça é a última parte do corpo da criança a sair do útero da mãe, pode ser que o puxão do médico para ajudar no parto rompa a haste da hipófise da criança, que é glândula que produz o GH.

Uma forma fácil de identificar seu filho tem problemas de crescimento, é observar se as roupas ou sapatos dele demoram a ficar apertados, ou se ele tem estatura mais baixa que os colegas da escola. Além disso, durante as consultas com o pediatra, o médico deve medir e pesar a criança. Esses dados devem ser registrados em uma curva de crescimento. Se os índices da criança estiverem abaixo da curva normal, você será encaminhado para o endocrinologista.

Esse especialista vai pedir exames de sangue e radiológicos. Os resultados vão indicar se existe ou não uma deficiência de crescimento. Para a maioria das deficiências, existe um tratamento específico, entre eles, a reposição do GH. Mas isso só será definido com a ajuda do endocrinologista.

Quanto mais cedo o problema da baixa estatura for descoberto e tratado, mais fácil evitar doenças relacionadas, como o nanismo. Essa doença se manifesta, principalmente, a partir dos dois anos. Quando a pessoa tem nanismo, ela não se desenvolve durante a adolescência e fica com uma altura mais baixa que o normal.

Conteúdo relacionado no site da Pfizer

 

Referências

http://www.conversandocomopediatra.com.br/paginas/materias_gerais/baixa_estatura.aspx
http://revistadepediatriasoperj.org.br/detalhe_artigo.asp?id=560
http://www.endocrino.org.br/10-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-crescimento-e-gh/