Skip directly to content

Estresse é inimigo do sistema imunológico

Crises seguidas de estresse podem afetar o funcionamento do sistema imunológico, tornando o organismo mais sensível às chamadas doenças infecciosas (que são transmitidas por vírus ou bactérias). É por isso que quem vive estressado costuma ser mais suscetível a gripes e resfriados, mesmo “fora de época” – e com sintomas mais incômodos e duradouros.

 

“Apesar de ter fundo emocional, o estresse pode, sim, ter sintomas físicos também”, explica a psicológa Ana Maria Rossi, presidente do Isma Brasil (International Stress Management Association).

 

 Estudos mostram que o estresse interfere na produção de cortisol, hormônio cuja função é inibir as defesas do organismo, evitando que o corpo ataque a si mesmo após enfrentar uma situação de risco.

 

Numa condição permanente de estresse, o corpo libera mais cortisol do que o necessário, causando um desequilíbrio que, em longo prazo, pode fazer com que o sistema imune não responda mais com a mesma eficiência quando solicitado.

 

Estresse pode desencadear uma série de doenças

 

Essa superexposição não só ao cortisol, mas também a outros hormônios relacionados ao estresse pode interferir em vários processos importantes para a manutenção da saúde, desencadeando doenças do coração, distúrbios do sono, problemas digestivos, depressão, obesidade, perda de memória, queda de cabelo e outras complicações.

 

“Indiretamente, o estresse pode estar ligado até mesmo à diabetes”, afirma a especialista.

 

Mas é preciso tomar cuidado para não generalizar. Apesar de estar por trás de várias doenças– e de ser, ele próprio, uma das mais recorrentes hoje em dia -, é perigoso assumir que o estresse seja, sempre, a principal causa de todas elas.

 

Só quem pode dar o diagnóstico correto é o médico.

 

Fonte adicional:


Mayo Foundation -http://www.mayoclinic.com/health/stress/SR00001