Skip directly to content

Porque o sal pode ser um inimigo na hora das refeições?

O sal faz parte do cardápio e da mesa do brasileiro, seja nas refeições, na porção de batata frita ou até mesmo naquela saladinha básica de alface, tomate e cebola.

Ele é composto por dois elementos principais: o sódio e o cloro que, juntos, formam o cloreto de sódio.

O sódio tem funções nobres no organismo, como por exemplo, controlar o equilíbrio da água, transmitir os impulsos nervosos do cérebro para todo o corpo, permitir a contração muscular e participar da regulação do ritmo do coração.

No entanto, a ingestão excessiva do sal de cozinha aumenta a quantidade de sódio no sangue. O organismo acaba retendo mais água, que aumenta o volume líquido, sobrecarregando o coração e os rins, situação que pode levar à hipertensão arterial sistêmica. A pressão alta prejudica as artérias, afeta coração, rins e cérebro.


Além disso, o excesso de sódio contribui para o desenvolvimento de algumas doenças que estão entre as primeiras causas de internações e óbitos no Brasil e no mundo.  Entre elas, temos:

  • Hipertensão arterial
  • Doenças cardiovasculares (cardiomiopatia, aterosclerose, etc).
  • Doenças renais (nefrite, insuficiência renal aguda, entre outras).

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a recomendação máxima de consumo diário de sal é de menos de cinco gramas por pessoa. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) afirma que o consumo brasileiro está em 12 gramas diários, ou seja, valor que ultrapassa o dobro do recomendado.

Estima-se que 1,5 bilhão de brasileiros não precisariam de medicação para hipertensão arterial sistêmica se consumissem a quantidade adequada de sal na dieta, e essa redução na ingesta de sal poderia aumentar a expectativa de vida dessa população em até quatro anos.

Por isso, o ideal é reduzir o sal no preparo dos alimentos e substituí-lo por outros temperos, como por exemplo, salsa, cebolinha, orégano, pimenta, entre outros. É muito mais saudável e podem dar um sabor especial à sua refeição.


Referências

Sociedade Brasileira de Hipertensão
http://www.sbh.org.br/geral/sbh-na-midia.asp?id=356

Secretaria as Saúde da cidade de São Paulo
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/programas/Osaleapressaoalta.pdf

Portal da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa 
http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/acf2b4804abffe2b94fabfa337abae9d/Campanha_de_Reducao_do_Consumo_de_Sal.pdf?MOD=AJPERES