Skip directly to content

Você sabe qual é a relação entre Alzheimer e sono?

Dificuldade para pegar no sono, passar a noite acordado e dormir muito durante o dia podem ser sintomas do mal de Alzheimer. Isso porque a doença causa a atrofia da parte do cérebro que controla a temperatura do corpo e a produção de melatonina, um hormônio que nos ajuda a dormir, o que estabelece uma ligação direta entre Alzheimer e sono.

Principalmente nas pessoas com mais de 70, é preciso ficar atento às alterações no sono. Cerca de 20% das pessoas que têm Alzheimer estão nessa faixa etária. Entretanto, sono e Alzheimer não estão sempre ligados. Existem outros fatores que também podem dificultar dormir, por exemplo:

  • Doenças como angina, insuficiência cardíaca, diabetes ou úlceras;
  • Dores causadas por doenças como artrites;
  • Infecção do trato urinário e a frequente necessidade de urinar;
  • Depressão, que faz com que a pessoa desperte de madrugada;
  • Apneia do sono;
  • Ambiente com muita luz ou impróprios para uma boa noite de descanso;
  • Necessidade de menos horas de sono, natural com o passar dos anos.

Sem uma avaliação profissional, é impossível saber com exatidão a causa das alterações do sono. Por isso, é fundamental procurar a ajuda de um especialista.

Alzheimer e sono: é possível contornar as dificuldades para dormir

Certo, Alzheimer e sono estão intimamente ligados. Mas isso não significa que é impossível o paciente ter uma boa qualidade de vida. É possível amenizar os sintomas com algumas alterações simples no cotidiano.

Rotina - é preciso estabelecer horários fixos para dormir e acordar, assim como para atividades diárias e principais refeições (café da manhã, almoço e jantar).

Ambiente ideal - certifique-se de que o quarto ou o ambiente onde o paciente for dormir é ideal para uma boa noite de sono. O local precisa ser confortável, com iluminação adequada e sem ruído.

Bebidas - a ingestão de álcool, cafeína e a nicotina podem afetar muito o ritmo do sono. Não é uma boa ideia consumir essas bebidas ou fumar antes de ir para a cama.

Televisão - assistir ao programa favorito antes de dormir também não é uma boa ideia, pois ela, normalmente, tira o sono.

Dores e desconfortos - caso o paciente esteja com alguma dor ou desconforto, é preciso tratar as causas para que isso não o impeça de dormir.

Caso nada disso surta efeito, existem medicamentos que podem ajudar na regulação do sono. Nunca os tome por conta própria, isso pode ser muito perigoso. O melhor a fazer é consultar um médico para que ele avalie qual a medicação mais indicada para o caso. Apesar de a relação entre Alzheimer e sono poder causar incômodos, é possível evitá-los.

Conteúdo relacionado no site da Pfizer

 

Referências

http://alzheimerportugal.org/pt/text-0-15-22-123-perturbacoes-do-sono - acessado em 02/09/2017
http://www.absono.com.br/abms/artigos/sono-e-envelhecimento/ - acessado em 02/09/2017
http://www.alz.org/alzheimers_disease_10429.asp  - acessado em 02/09/2017
https://sleepfoundation.org/sleep-disorders-problems/alzheimers-disease-and-sleep - acessado em 02/09/2017
http://abraz.org.br/sobre-alzheimer/o-que-e-alzheimer - acessado em 02/09/2017