Skip directly to content

Sobre o tabagismo

O cigarro – tabagismo

Que o cigarro causa milhares de doenças todos sabem. Diversos estudos desenvolvidos até o momento demonstram sempre o mesmo: o consumo de derivados do tabaco causa quase 50 doenças diferentes, principalmente as cardiovasculares (infarto, angina), o câncer de pulmão, e as doenças respiratórias obstrutivas crônicas (enfisema e bronquite).

As estatísticas revelam que os fumantes comparados aos não fumantes apresentam um risco:

• 10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão 
• 5 vezes maior de sofrer infarto 
• 5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar 
• 2 vezes maior de sofrer derrame cerebral

Além disso, esses estudos mostram que o tabagismo é responsável por:

• 200 mil mortes por ano no brasil (23 pessoas por hora); 
• 90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restante, 1/3 é de fumantes passivos); 
• 85% das mortes causadas por bronquite e enfisema; 
• 45% das mortes causadas por doença coronariana na faixa etária abaixo dos 60 anos; 
• 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos; 
• 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero); 
• 25% das mortes causadas por doença coronariana (angina e infarto do miocárdio);
• 25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral).

São cerca de 4.720 substâncias tóxicas existentes na fumaça do cigarro que trazem riscos à saúde do fumante. Além das mais conhecidas como alcatrão e monóxido de carbono, a fumaça contém também substâncias radioativas, como polônio 210 e cádmio (encontrado nas baterias de carros).

Síndrome de abstinência

Uma das principais razões do vício que a nicotina causa é que ela é absorvida rapidamente e chega ao cérebro em altas concentrações e em poucos segundos.

A ação da nicotina no cérebro basicamente é de proporcionar prazer e relaxamento, o que acaba criando vontade e a necessidade de querer fumar cada vez mais. A nicotina afeta o sistema nervoso central, o que provoca mudanças de humor, inclusive o relaxamento, diminuição da tensão e excitação.

Quando uma pessoa pára de fumar, a falta de nicotina promove os sintomas de abstinência como inquietação, irritabilidade, ansiedade, dor de cabeça, dificuldade de concentração e tontura. Além disso, os fumantes precisam superar hábitos de comportamento construídos durante anos, como fumar ao acordar, após as refeições ou durante um período tenso, de estresse. Cada pessoa tem uma experiência diferente. Uns sentem mais desconforto que outros, mas o importante é não desanimar e buscar soluções de tratamento!

Referências


"Abordagem e tratamento do fumante" - inca - ministério da saúde - 2001.

 

Inca - site: www.inca.gov.br/tabagismo/parar/teste.htm impresso em 10/05/2004.
 

Inca - site www.inca.gov.br/tabagismo acessado em 07/07/04.

 

Thorax. The journal of the british thoracic society. Smoking cessation guidelines and their cost effectiveness. December 1998. V01 53. Supplement 5.

 

Bula do produto.

 

SBPT - site www.sbpt.org.br acessado em 18/06/04.

 

Fiore mc, bailey wc, cohen sj, et al.: treating tobacco use and dependence: clinical practice guideline. Rockville , md : us dept of health and human services, public health service; june 2000.

 

Benowitz nl. Drugs. 1993 volume 45 157-170.

 

West r, shiffman s.: effect of oral nicotine dosing forms on cigarette withdrawal symptoms and craving: a systematic review. Psychopharmacology 2001: 155(2); 115-22.

 

Corelli rl, suchanek hudmon k.: medications for smoking cessation. West j med.

 

Scott, da, palmer, rm and stapleton, ja: validation of smoking status in clinical research into inflammatory periodontal disease - jornal of clinical periodontal. J. Clin. Periodontology 2001; 28: 715-722,munksgaard, 2001.

 

Dados pesquisa Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. IMS/PMB - 2004.

 

As informações sobre saúde contidas neste site são fornecidas somente para fins educativos e não pretendem substituir, de forma alguma, as discussões estabelecidas entre médicos e pacientes. O diagnóstico de qualquer doença só pode ser realizado por um profissional de saúde. Somente o profissional de saúde pode ajudá-lo a decidir pela melhor opção de tratamento.

Em caso de dúvidas, favor contatar o nosso serviço de atendimento ao consumidor da pfizer através do telefone 0800-16-7575 (de segunda a quinta-feira das 8h00 às 18h00 e às sextas-feiras das 8h00 às 16h00). 

"Não tome nenhum medicamento sem o conhecimento de seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde".

Todas as informações contidas neste site são destinadas ao público brasileiro.