Skip directly to content

Perguntas e respostas sobre Depressão


 

O que é depressão?

 

A depressão é um distúrbio mental comum que afeta cerca de 300 milhões de pessoas no mundo. Ela causa mudanças de humor, como tristeza profunda e irritabilidade, que podem durar por semanas ou até mesmo meses.
 

Até 2020, a depressão será a maior causa de incapacitação no mundo. É necessário tratamento médico para controlar o transtorno e recuperar a qualidade de vida.
 

O que causa depressão?
 

Existem diversas causas possíveis para a depressão. Não existe uma resposta definitiva do motivo da pessoa desenvolver este distúrbio. A depressão pode se manifestar sem razão aparente, até mesmo em quem parece estar em um bom momento de vida. Alguns fatores possíveis para o desenvolvimento do distúrbio são:
 

Características individuais – a depressão pode se desenvolver por fatores genéticos da pessoa ou até mesmo após algum evento estressante/traumatizante, como a perda de um ente querido ou um problema no emprego.
 

Fatores químicos e fisiológicos da depressão – podem ocorrer por conta do desequilíbrio das substâncias químicas do cérebro, conhecidas como neurotransmissores.
 

Medicamentos e outras doenças – alguns podem ter como reação adversa o desenvolvimento do distúrbio. Além disso, algumas doenças podem causar sinais e sintomas parecidos com os da depressão.
 

Quais são os sintomas mais comuns da depressão?
 

  • Os sinais e sintomas da depressão podem variar bastante de pessoa para pessoa, inclusive na frequência e intensidade com que aparecem. Entre os mais comuns estão:
  • Tristeza constante;
  • Perda de interesse por atividades que antes apreciava;
  • Insatisfação com acontecimento da vida;
  • Irritabilidade;
  • Insônia e cansaço constante;
  • Mudança nos hábitos alimentares;
  • Perda de peso;
  • Maior frequência no uso de substâncias, como drogas e álcool.
     

Existem tipos diferentes de depressão?
 

Os sinais e sintomas mais comuns podem surgir em diferentes tipos de depressão. Identificar corretamente o tipo ajuda a definir qual o melhor tratamento para o caso. Entre os principais tipos de depressão estão:
 

Transtorno depressivo maior – é um transtorno mental que caracteriza-se por sintomas de desânimo, tristeza, falta de vontade, fadiga, choro fácil, falta de prazer, dificuldade de concentração, mudanças no apetite, insônia, perda da libido, entre outras manifestações. Pessoas com transtorno depressivo maior apresentam humor deprimido durante a maior parte do tempo, quase diariamente, com sensação de vazio, tristeza e falta de esperança.
 

Distimia – é um transtorno do humor que consiste nos mesmos problemas presentes na depressão, com sintomas menos graves porém mais duradouros. Afeta cerca de 3% das pessoas e os sintomas de tristeza e perda de interesse por atividades dura mais que 2 anos.
 

Transtorno bipolar – este tipo é caracterizado pela alteração de humor intensa, variando entre estar bem e passando para uma fase de depressão ou mania. O transtorno bipolar é mais comum entre os 20 e 30 anos.
 

Depressão sazonal – este tipo de depressão é caracterizado pela presença dos sintomas da depressão em determinadas épocas do ano, como o inverno.
 

Depressão psicótica – ocorre quando a pessoa experiencia delírios e alucinações junto dos sintomas da depressão.
 

Depressão pós-parto – este tipo de depressão acontece quando a mulher tem sintomas do distúrbio até seis meses depois do nascimento do bebê. Caso persistam por mais tempo, a mulher deve conversar com o médico sobre uma possibilidade de tratamento que não afete a amamentação.
 

Depressão atípica – ocorre quando os sintomas da depressão se tornam mais intensos após a pessoa passar por uma experiência positiva.
 

Transtorno disfórico pré-menstrual – é uma forma mais grave dos sintomas da síndrome pré-menstrual. Normalmente, eles costumam passar quando a mulher entra no período da menstruação.
 

Quais são as formas de tratamento da depressão?
 

Existem diferentes tratamentos de acordo com o tipo de depressão. A escolha do tratamento para depressão é individual e o médico levará em conta fatores como a frequência ou a intensidade dos sintomas do caso. As formas mais utilizadas de tratamentos são:
 

Psicoterapia – o acompanhamento psicológico pode ocorrer de diferentes formas, com atendimento individual ou em grupos de apoio. O período de tratamento também é variável, podendo levar algumas sessões ou até mesmo anos.
 

Tratamento medicamentoso – atualmente, existem medicamentos para o tratamento da depressão em diferentes estágios. Eles atuam nos neurotransmissores do cérebro, auxiliando o sistema nervoso central a restabelecer o equilíbrio químico normal. Apenas o psiquiatra pode receitar medicamentos para a depressão, nunca se automedique.
 


Referências
 

https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/atypical-depression/symptoms-causes/syc-20369747 - acessado em 11/04/2019
 

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5635:folha-informativa-depressao&Itemid=1095 – acessado em 11/04/2019
 

https://editorarealize.com.br/revistas/cieh/trabalhos/TRABALHO_EV075_MD4_SA3_ID1184_11092017232043.pdf - acessado em 11/04/2019
 

http://www.scielo.br/pdf/rbp/v29s1/a05v20s1.pdf - acessado em 11/04/2019
 

http://www.scielo.br/pdf/jbpsiq/v58n3/06.pdf - acessado em 11/04/2019
 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082004000300007 – acessado em 11/04/2019
 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44461999000600005 – acessado em 11/04/2019
 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3043325/ - acessado em 11/04/2019
 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16413879 - acessado em 11/04/2019
 

https://www.aafp.org/afp/2006/0101/p83.html - accesado em 11/04/2019
 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16473294 - acessado em 11/04/2019
 

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1002/psb.1530 - acessado em 11/04/2019
 

https://pdfs.semanticscholar.org/cd6d/a6c3a67c7019b3a50ee775d6c5025ebb9013.pdf - acessado em 11/04/2019
 

Kaplan & Sadock's Pocket Handbook of Clinical Psychiatry. Sadock and Kaplan, eds. 2001. Editora Lippincott Williams & Wilkins.