Skip directly to content

Entenda a diferença entre alimentos naturais e industrializados

Seguir uma dieta saudável ajuda a prevenir e tratar uma série de problemas de saúde, como a pressão alta e a diabetes. Apesar disso, nem todo mundo consegue manter esse hábito, seja pela correria do dia a dia, ou pela falta de informação. A boa notícia é que alimentar-se bem e adequadamente é mais fácil do que se pensa. Para isso, é importante dedicar algum tempo do seu dia para planejar suas escolhas e aprender conceitos importantes como a diferença entre alimentos naturais e industrializados.

O tipo de processamento determina o perfil de nutrientes e o sabor dos alimentos. Em geral, quanto mais processados forem, menor seu valor nutricional e maior a quantidade de substâncias nocivas à saúde. Alimentos ultraprocessados tendem a apresentar elevados índices de sódio e de açúcar, que podem causar doenças como hipertensão e diabetes.

No Guia Alimentar para A População Brasileira, o Ministério da Saúde divide os alimentos em três tipos, de acordo com o nível de processos industriais a que foram submetidos. Nele, é possível entender a diferença entre alimentos naturais e industrializados.

  • Alimentos in natura – são obtidos diretamente de plantas ou animais e não sofrem qualquer alteração após deixar a natureza. Exemplos - legumes, verduras, tubérculos, castanhas, nozes, carne bovina, suína, aves e pescados frescos.
  • Alimentos processados – são fabricados, essencialmente, com adição de sal ou açúcar a um alimento in natura ou minimamente processados. Eles são derivados diretamente de alimentos e são reconhecidos como versões dos alimentos originais. Exemplos - queijos, pães, sardinhas enlatadas, frutas em calda e frutas cristalizadas. A partir daí, já se percebe a principal diferença entre alimentos naturais e industrializados.
  • Alimentos ultraprocessados – são feitos inteiramente ou principalmente de substâncias extraídas de alimentos, como óleos, gorduras, açúcar, amido e proteínas; substâncias obtidas por reações químicas a partir de componentes de alimentos, como amido modificado e gorduras hidrogenadas; e substâncias sintetizadas em laboratório com base em matérias orgânicas, como petróleo e carvão, a exemplo de aromatizantes, corantes, realçadores de sabor e vários tipos de aditivos usados para dotar os produtos de propriedades sensoriais atraentes. Exemplos - refrigerantes, biscoitos recheados, embutidos, sorvetes e pães de forma.

Diferença entre alimentos naturais e industrializados: impacto na saúde

Os alimentos naturais devem ser priorizados e os processados devem ser consumidos com moderação. Já os ultraprocessados devem ser evitados. É importante destacar que alguns alimentos in natura podem passar por alguns processos que não alteram ou mudam muito pouco suas caraterísticas físicas e nutricionais. Nesse caso, eles são considerados alimentos minimamente processados, a exemplo das carnes congeladas e do leite pasteurizado. Alguns processos que transformam os alimentos in natura em minimamente processados são:

  • Pasteurização;
  • Lavagem;
  • Remoção de partes não comestíveis e indesejáveis;
  • Moagem e secagem;
  • Refrigeração ou congelamento;
  • Fermentação.

Alimentos industrializados, tanto os alimentos processados quanto os alimentos ultraprocessados podem causar problemas de saúde se consumidos em excesso. Isso porque, no processo de industrialização, o alimento natural recebe grandes quantidades de sal e açúcar, o que afeta seu valor nutricional e aumenta muito seu valor calórico.

Na prática, qual a diferença entre alimentos naturais e industrializados?

Nem sempre é fácil perceber a diferença entre alimentos naturais e industrializados na hora das compras, principalmente no caso dos alimentos processados e ultraprocessados. Uma boa maneira de distinguir esses dois tipos de produtos é observar o rótulo. Um número muito grande de ingredientes e itens não encontrados na sua cozinha, como “emulsificantes” e “óleos interesterificados”, mostram que o alimento é ultraprocessado.

Outra diferença entre alimentos naturais e industrializados, é que no caso dos alimentos ultraprocessados, eles podem comprometer os mecanismos que sinalizam a saciedade e controlam o apetite. Isso favorece o consumo excessivo de calorias e contribui para a obesidade. Entre os atributos dos alimentos ultraprocessados estão:

  • Hipersabor - uma grande diferença entre alimentos naturais e industrializados, especialmente os ultraprocessados, é que eles são formulados para que sejam extremamente saborosos. Isso induz a um hábito alimentar ruim e, às vezes, dependência.
  • Tamanhos gigantes - por seu custo baixo de produção, esses alimentos são comercializados em embalagens enormes, o que pode levar a um consumo involuntário. 

Caso esteja em dúvida sobre como adotar uma alimentação saudável, procure a ajuda de um especialista. Ele vai avaliar suas características físicas e seu quadro clínico e indicar quais os melhores alimentos e quantidades para consumir em cada refeição.

Conteúdo relacionado no site da Pfizer

 

Referências

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/novembro/05/Guia-Alimentar-para-a-pop-brasiliera-Miolo-PDF-Internet.pdf  – acessado em 23/10/2018

https://www.diabetes.org.br/publico/nutricao-noticias/890-os-10-passos-para-alimentacao-saudavel - acessado em 23/10/2018

http://sban.cloudpainel.com.br/source/Sal-e-sAdio-no-contexto-alimentar-contemporAneo.pdf - acessado em 23/10/2018

https://newsnetwork.mayoclinic.org/discussion/mayo-clinic-minute-what-are-ultraprocessed-foods/ - acessado em 23/10/2018

https://www.cambridge.org/core/journals/public-health-nutrition/article/public-health-nutrition-special-issue-on-ultraprocessed-foods/428AC8871DDA04C782126B72D2F8F21F - acessado em 23/10/2018