Vacina de RNA mensageiro

Pesquisador segurando seringa com vacina de RNA mensageiro - Pfizer

As vacinas de RNA mensageiro são um novo tipo de imunizante em estudo para proteger pessoas de doenças infecciosas. Assim como as vacinas comuns, o objetivo do RNA mensageiro é criar anticorpos contra um vírus que ameaça a saúde humana. Mas, ao invés de inserir o vírus atenuado ou inativo no organismo de uma pessoa, esse novo imunizante ensina as células a sintetizarem uma proteína que estimula a resposta imunológica do corpo. 

Como funciona a vacina de RNA mensageiro

Para falar das vacinas de RNA mensageiro (mRNA), precisamos partir de um ponto básico que é o funcionamento das nossas células. Elas são constituídas pelo:

  • DNA – responsável por armazenar as nossas informações genéticas;
  • RNA mensageiro - responsável por carregar as instruções para a síntese de proteínas;
  • Ribossomos - estruturas presentes no citoplasma da célula que produzem as proteínas efetivamente com as instruções trazidas pelo RNA mensageiro. 

As vacinas de mRNA carregam uma parte do código genético do vírus que contém as instruções para que as células do corpo produzam determinadas proteínas. Ou seja, elas atuam introduzindo nas células do organismo a sequência de RNA mensageiro que contém a fórmula para que essas células produzam uma proteína específica do agente que se quer imunizar. Uma vez que essa proteína seja produzida dentro das nossas células, ela é exposta ao nosso sistema imunológico que reconhece essas estruturas como estranhas e ativa as células de defesa para agirem contra ela. 

Essa imunidade é representada pelos anticorpos e linfócitos T. Após combaterem esses agentes, todas essas células são eliminadas no nosso corpo em dias ou semanas. Mas algumas dessas células permanecem no nosso corpo guardando a informação, são as células de memória. Quando a pessoa for verdadeiramente infectada pelo agente, essas células de memória rapidamente vão lembrar das instruções e vão montar o sistema de defesa para combatê-lo.

Uma vacina de RNA mensageiro, então, funciona da seguinte forma:

  1. Utilizando uma fita de RNA mensageiro, a vacina codifica um antígeno específico daquela doença;
  2. Quando o RNAm é inserido no organismo, as células usam a informação genética para produzir esse antígeno;
  3. O antígeno se espalha pela superfície das células e é reconhecido pelo sistema imunológico, que entende que aquela proteína não faz parte do organismo e passa a produzir anticorpos para combater aquela doença. 

Por que a vacina de RNA mensageiro é inovadora?

O principal benefício da vacina de RNA mensageiro é a imunização da população, a fim de evitar principalmente doença grave, hospitalizações e morte pelo agente que se quer combater. No entanto, ela também se destaca por outros motivos:

  • Agilidade. Diferentemente das vacinas convencionais que levam meses para se desenvolver e são produzidas por meio do crescimento de formas inativadas ou atenuadas do vírus - as vacinas de mRNA (RNA mensageiro) são desenvolvidas e produzidas rapidamente e de forma sintética, usando apenas o código genético do patógeno.
  • Flexibilidade. A sequência de RNA da vacina pode ser alterada rapidamente para poder agir contra variantes do vírus que eventualmente não seriam atingidas pela vacina em uso.
  • Produção. O RNA mensageiro pode ser produzido em laboratório, utilizando materiais mais acessíveis. Por isso, o processo pode ser padronizado e a produção pode ser feita em grande escala, o que permite respostas rápidas a grandes surtos e epidemias. 
  • Eficácia e segurança. Já existem vacinas de mRNA aprovadas por órgãos regulatórios do mundo todo e em uso na população, como as vacinas contra a COVID-19, que demonstram uma resposta imunológica robusta. Os dados demonstraram também que a vacina é bem tolerada nas diferentes populações estudadas, com perfil de segurança adequado e com benefícios superando quaisquer eventuais riscos.

COVID-19, câncer, doenças infecciosas e as vacinas de RNA mensageiro

Com a pandemia da Covid-19, os esforços foram contínuos na busca de uma vacina para imunizar a população contra o vírus SARS-COV-2. A Pfizer - junto à BioNTech - foi a primeira indústria farmacêutica a desenvolver uma vacina usando a plataforma de RNA mensageiro, e com comprovação da segurança dessa vacina pelos estudos clínicos. Hoje, ela já está disponível em mais de 170 territórios, incluindo o Brasil, onde tem aprovação para pessoas acima de 5 anos de idade. Clique aqui para mais informações.

Vacinas com a tecnologia de mRNA também estão sendo estudadas contra outros agentes infecciosos como Influenza, Zika vírus, Citomegalovírus e até contra câncer.

 

Referências

 

 

PP-UNP-BRA-0008