Antiviral para tratamento da covid-19

imagem mostra comprimidos sendo colocados de um frasco em uma mão

Desde o início da pandemia, a Pfizer tem atuado para trazer uma resposta terapêutica que ajude a combater a covid-19. Nos desafiamos a avançar dentro de um cronograma acelerado, para rapidamente responder a esse desafio global, sempre tendo em consideração os mais altos níveis de segurança.

Assim, em parceria com a BioNTech, a Pfizer desenvolveu uma vacina à base de mRNA para combater o vírus SARS-CoV-2, que foi aprovada por órgãos regulatórios em todo o mundo. 

A companhia também desenvolveu um antiviral para o tratamento da covid-19. Saiba mais.

QUAL É O ANTIVIRAL QUE A PFIZER ESTÁ DESENVOLVENDO PARA O TRATAMENTO DA COVID-19?

O medicamento consiste na combinação de duas moléculas e pertence à classe dos inibidores de protease, o qual exerce sua ação inibindo uma enzima (protease) que o SARS-CoV-2 utiliza para se replicar. A Pfizer publicou no dia 14 de dezembro de 2021 os resultados finais do estudo de Fase 2/3 (EPIC-HR) desse antiviral para uso oral em pacientes de alto risco para COVID-19, assim como os resultados da análise interina do estudo de Fase 2/3 para pacientes de risco padrão para COVID-19 (EPIC-SR). Considerando os resultados do primeiro estudo, a agência regulatória dos Estados Unidos da América (U.S. Food and Drug Administration) autorizou, em 22 de dezembro de 2021, o uso emergencial desse antiviral em pacientes adultos e pediátricos (a partir de 12 anos ou com mais de 40kg) de alto risco para COVID-19.

 

QUAL A SEMELHANÇA DO ANTIVIRAL DA PFIZER PARA O TRATAMENTO DA COVID-19 COM A HIDROXICLOROQUINA E IVERMECTINA?

A Pfizer esclarece que esse antiviral não apresenta qualquer semelhança com a cloroquina/hidroxicloroquina (utilizado como antimalárico e para tratamento de algumas doenças reumatológicas) ou com a ivermectina (antiparasitário), ou seja, são compostos com estruturas químicas e mecanismos de ação totalmente diferentes.

 

QUAL É A EFICÁCIA DESSE ANTIVIRAL? 

Resultados finais de Fase 2/3 do estudo EPIC-HR demonstraram uma redução de 89% no risco de hospitalização ou morte relacionadas à COVID-19, em comparação a placebo, em adultos de alto risco não hospitalizados devido à COVID-19, em um prazo de três dias desde o início dos sintomas (desfecho primário), com resultados semelhantes (88%) observados em cinco dias após o início dos sintomas (desfecho secundário). Para o estudo EPIC-SR, os resultados da análise interina mostraram uma redução de 70% em hospitalizações (nenhuma morte) na população tratada com o antiviral, em comparação com o grupo placebo.

 

QUANDO ESSE ANTIVIRAL ESTARÁ DISPONÍVEL NO BRASIL? 

A Pfizer recebeu no dia 30/03/2022 a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para uso emergencial do antiviral no país. O período para que o medicamento esteja disponível no Brasil dependerá do andamento das negociações com o Ministério da Saúde para um possível acordo de compra.

 

QUAL A CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DA PFIZER PARA O ANTIVIRAL?

A Pfizer espera produzir entre 80 milhões e 120 milhões de doses em 2022, como resultados de investimentos contínuos para apoiar a fabricação e a produção do medicamento.


 

Atualizado em 06/04/2022

PP-PAX-BRA-0003