Skip directly to content

Câncer de Pele

O câncer de pele corresponde a cerca de 30% dos casos de câncer no Brasil. A doença normalmente é causada pela exposição excessiva ao sol. Os tumores de pele geralmente são percebidos com mais facilidade e, quando diagnosticados precocemente, têm mais chances de cura. Leia mais para saber os tipos, sintomas, como se prevenir e tratamentos do câncer de pele.

Tipos de câncer de pele

Carcinoma basocelular (CBC) – aparece, geralmente, em partes do corpo expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas. Mas, pode surgir em áreas não expostas, apesar de não ser comum. O tipo mais encontrado é o CBC nódulo-ulcerativo, que forma uma elevação vermelha na pele, brilhosa, com uma crosta central, que pode sangrar facilmente.

  • Atenção - em alguns casos, manifestações do CBC podem ser parecidas com outras lesões, como eczema ou psoríase, que são problemas na pele.

Carcinoma espinocelular (CEC) - pode se desenvolver em todas as partes do corpo, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo e pescoço. Nestas regiões, a pele pode ficar enrugada, mudar de cor e perder a elasticidade. Normalmente, tem coloração avermelhada e aparece como machucados ou feridas que não cicatrizam e sangram às vezes. O CEC pode ser parecido com verrugas.

  • Atenção - o CEC é duas vezes mais frequente em homens do que em mulheres.

Melanoma - é o tipo de câncer de pele mais agressivo. No entanto, as chances de cura são de mais de 90%, quando há o diagnóstico precoce. Surge, normalmente, em áreas difíceis de serem vistas, embora seja mais comum nas pernas em mulheres, no tronco em homens, bem como no pescoço e rosto em ambos os sexos. Geralmente, o melanoma parece uma pinta ou um sinal escuro na pele. Porém, a “pinta” ou o “sinal”, muda de cor, formato ou tamanho e pode sangrar.

Fatores de risco do câncer de pele

É preciso ter cuidado com os fatores de risco do câncer de pele, veja quais são:

Fatores de risco não controláveis

  • Pele clara, com sardas, cabelos claros ou ruivos e olhos claros – pessoas com estas características estão mais sujeitas à doença;
  • Histórico familiar - casos de câncer de pele em parentes de primeiro grau aumentam o risco de desenvolver a doença.

Fatores de risco controláveis

  • Exposição solar crônica – expor-se ao sol sem protetor solar é um fator de risco para o câncer de pele;
  • Queimaduras – resultado da exposição solar, principalmente na infância e juventude. Pode ser mais prejudicial do que exposição solar crônica para desenvolver câncer de pele;
  • Bronzeamento artificial – aumenta o risco de ter a doença.

Prevenção do câncer de pele

  • Para prevenir o câncer de pele, evite a exposição solar excessiva e adote os seguintes hábitos:
  • Use protetor solar fator 30 (no mínimo) diariamente;
  • Evite a exposição solar, mesmo na sombra, entre 10 e 16 horas (horário de verão);
  • Na praia ou na piscina, use barracas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta;
  • Evite bronzeamento artificial;
  • Observe regularmente a própria pele, veja se há pintas ou manchas suspeitas;
  • Caso tenha casos de câncer de pele na família, faça exames preventivos periodicamente.

Sinais e sintomas do câncer de pele

Veja os sinais e sintomas do câncer de pele:

  • Lesão na pele elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;
  • Pinta preta ou castanha que muda de cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;
  • Mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer, coçam, tem crostas ou sangram.

Além dos sinais e sintomas acima, melanomas metastáticos podem provocar outras reações, como nódulos na pele, inchaço nos gânglios linfáticos, falta de ar ou tosse, dores abominais e de cabeça.

Se tiver um ou mais dos sinais e sintomas listados, não significa que você tenha câncer de pele. Converse com o médico para que ele faça o diagnóstico e indique o melhor tratamento para o seu caso.

Tratamento do câncer de pele

Quanto mais cedo for diagnosticada, maiores são as chances de cura. Veja, quais são os tratamentos do câncer de pele:

Cirurgia excisional - o tumor é retirado junto com uma borda adicional de pele sadia como margem de segurança. Os tecidos removidos são examinados no microscópio para verificar se todas as células cancerosas foram removidas. O tratamento tem altos índices de cura e pode ser usado no caso de tumores frequentes.

Curetagem e eletrodissecção - é feita uma raspagem da lesão, enquanto um bisturi elétrico destrói as células cancerígenas. Para não deixar vestígios da doença, o procedimento é repetido algumas vezes. Geralmente, é indicado para tumores menores.

Criocirurgia - o tumor é destruído por meio do congelamento com nitrogênio líquido. Não há cortes ou sangramentos. A taxa de cura é menor do que a cirurgia excisional, mas é uma opção para casos de tumores pequenos ou frequentes.

Cirurgia a laser - remove as células tumorais com laser. Por não causar sangramentos, é uma opção para pessoas com problemas sanguíneos.

Cirurgia micrográfica de Mohs - o cirurgião retira o tumor e um fragmento de pele ao redor dele. O material é analisado no microscópio, o procedimento é repetido até não haver vestígios de células cancerígenas. É indicado para tumores mal delimitados ou em áreas críticas, como no rosto, onde cirurgias podem provocar grandes cicatrizes.

Terapia fotodinâmica (PDT) - é aplicado uma substância, como o ácido 5-aminolevulínico (5-ALA), na região do câncer. Depois de algumas horas, a área é exposta a uma luz intensa que ativa o 5-ALA e destrói as células tumorais, com mínimos danos aos tecidos saudáveis.

A radioterapia, quimioterapia, imunoterapia e alguns medicamentos também são opções de tratamentos do câncer de pele. Apenas o médico pode indicar qual é o tratamento mais adequado para você. Nunca se automedique ou tente um método caseiro para retirar pintas ou sinais.

 

Referências

http://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/cancer-da-pele/64/  - acessado em 27/09/2018

http://www.bp.org.br/vital/especialidades/oncologia/cancer-de-pele/  - acessado em 27/09/2018

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_nao_melanoma  - acessado em 27/09/2018

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_melanoma/definicao  - acessado em 27/09/2018

http://www1.inca.gov.br/cancer/pele/hotsite/ - acessado em 27/09/2018