Tire suas dúvidas sobre vacinação!

Mulher tirando dúvidas sobre vacinação com médica – Pfizer.

Embora as vacinas tenham permitido reduzir muito a incidência de doenças que podem afetar gravemente a saúde de milhares de pessoas e até provocar a morte, como sarampo, caxumba, coqueluche, difteria, tétano, meningite e até febre amarela, ainda há muitas dúvidas sobre a vacinação. Desde a segurança e a eficácia das vacinas até a necessidade de continuar sendo vacinado contra doenças que não existem mais no Brasil. Continue a leitura e saiba as respostas para várias dúvidas sobre vacinação!

DÚVIDAS SOBRE VACINAÇÃO - mecanismo de ação, eficácia, segurança, tipos de vacina e importância delas

 

1. O que são vacinas, como agem?

As vacinas são uma das formas mais eficazes de prevenir doenças graves. De uma maneira geral, elas utilizam fragmentos, ou mesmo versões inativadas dos microorganismos, como os vírus ou as bactérias, de modo a estimular o sistema imunológico a produzir anticorpos contra estes tipos de invasores sem provocar a doença, criando memória imunológica e mantendo a pessoa protegida.

 

2. Vacinas são seguras?

Todas as vacinas disponíveis tiveram sua comprovação quanto a segurança e eficácia, com comprovação feita por meio de rigorosos protocolos científicos e de entidades regulatórias. Os eventos adversos em sua maioria são considerados leves, geralmente atribuídos ao local da aplicação, como dor. Em alguns casos, pode ocorrer febre. Eventos graves são, em geral, raros.

No Brasil, a regulamentação das vacinas é feita pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e pelo Ministério da Saúde, que só autorizam a comercialização delas após aprovação em diversas etapas de testes.

 

3. Quais são as vacinas disponíveis na rede pública para o paciente considerado de risco e onde posso tomar?

No âmbito do Programa Nacional de Imunizações, ao todo, são 27 vacinas, 13 soros e quatro imunoglobinas que compõem um calendário robusto de proteção aos pacientes de risco no Brasil. Essas vacinas estão disponíveis de forma gratuita nas 51 salas que integram a rede dos CRIEs (Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais) em todo o Brasil.

Caso a região do paciente não conte com uma unidade desses centros de referência, basta solicitar na Secretaria Municipal de Saúde ou na UBS mais próxima para que a vacina seja enviada para o local onde a aplicação deverá ser feita.

 

4. Como saber quais vacinas devo tomar?

O calendário vacinal do Ministério da Saúde é atualizado todo ano considerando diferentes públicos e faixas etárias. Confira o calendário de vacinação do Programa Nacional de Imunização e saiba quais vacinas você precisa tomar.

Alternativamente algumas vacinas e indicações podem estar disponíveis apenas na rede privada, e são pautadas pelas recomendações das Sociedades Médica Científicas, como o Calendário SBIm, da Sociedade Brasileira de Imunização.

 

5. Toda vacina tem vírus vivo?

Cada vacina pode ter uma composição diferente e particularidades quanto ao antígeno e a forma que ensinam o sistema imune a se defender. As vacinas contra agentes virais podem ser de vírus vivo atenuado, ou seja, apesar de estar inteiro, o vírus é enfraquecido de modo que ajuda o organismo a aprender a se defender. No entanto, não tem capacidade de provocar doença.

Outras vacinas podem ter como componente o vírus morto, ou mesmo conter apenas fragmentos do vírus ou de seu material genético, passando instruções ao organismo de como se preparar para se defender desse agente, sem provocar a doença.

 

6. Por que devemos vacinar contra algumas doenças consideradas “leves”?

A utilização das vacinas visa a prevenção de quadros graves de doenças, ou mesmo a redução de sequelas em decorrência da doença, assim como o controle da circulação daquele determinado agente na população. Pode ser falsa a sensação de que doenças comuns da infância, como por exemplo a catapora, sejam “leves”. Em crianças pequenas o quadro pode evoluir com complicações nos sistemas respiratório e neurológico, pneumonia e infecções de pele, entre outras. Além de ser transmissível facilmente na comunidade.

 

7. Se algumas doenças estão erradicadas ou quase erradicadas, por que vacinar contra elas?

É justamente as altas coberturas vacinais que mantém a população longe de doenças já controladas ou erradicadas. Com as distâncias no mundo cada vez menores, agentes infecciosos podem viajar com facilidade e rapidez de um país para outro, aumentando o risco de novos surtos caso a população local não tenha um alto nível de imunização.

 

8. É verdade que a vacina causa autismo?

Não é verdade. Um estudo com mais de 95 mil crianças realizado entre 2001 e 2012 apontou que não existe relação entre vacina e o distúrbio neurológico conhecido como transtorno de espectro do autismo (TEA), que é chamado popularmente de autismo.

 

9. Tomar mais de uma vacina em um dia pode ser perigoso?

Não, o nosso corpo é capaz de lidar com a aplicação conjunta de vacinas e produzir a resposta necessária, ou seja, a criação de imunidade contra os diferentes agentes infecciosos para os quais as vacinas podem prevenir.

DÚVIDAS SOBRE VACINAÇÃO - o bebê e as vacinas

 

1. Por que é importante seguir o calendário de vacinação para os bebês?

As vacinas terão seus efeitos protetores máximos quando forem administradas corretamente, respeitando o início do esquema recomendado e o intervalo entre as doses. Manter o calendário atualizado é a melhor maneira de evitar que o bebê esteja exposto a infecções.

Quanto mais precocemente for iniciada a vacinação, mais cedo a criança estará protegida de doenças frequentemente transmitidas em ambientes comuns, como escolas, creches e parques. Por isso, a quantidade de doses que a criança recebe nos primeiros anos de vida é grande.

  • Importância da carteirinha de vacinação - é essencial que os pais acompanhem o calendário de vacinas por meio da carteirinha de vacinação do bebê e levem consigo este documento às consultas com o pediatra e no momento da vacinação para que ela seja atualizada
  • Perda da carteirinha de vacinação - caso a carteirinha tenha sido perdida, os pais devem procurar o local onde o bebê costuma tomar as vacinas para refazer o documento.
  • App Minhas Vacinas - no aplicativo da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) é possível acessar todos os calendários de vacinação (crianças, adultos, idosos e gestantes) e adicionar lembretes ao calendário. Utilize o app para manter a vacinação da criança e da família em dia de maneira fácil e simples de acessar.

 

2. Quais as diferenças entre as vacinas oferecidas na rede pública de saúde e na rede privada?

Todas as vacinas licenciadas para uso, independentemente de serem disponibilizadas na rede pública ou na rede privada, passam por diversas fases de avaliação, desde seus estudos clínicos até a aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão vinculado ao Ministério da Saúde. De uma maneira geral, podem existir calendários diferentes, porém, tanto as vacinas da rede pública quanto as da rede privada são igualmente importantes e seguras. Converse com o pediatra sobre quais são recomendadas para o seu filho:

  • Rede pública de saúde - o calendário básico infantil do Sistema Único de Saúde (SUS) oferece 12 vacinas, que previnem mais de 20 doenças. Esse calendário é pautado pelas necessidades em saúde coletiva.
  • Rede privada de saúde - tem seu calendário pautado nas recomendações das sociedades médicas, como a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), com um foco na atenção individualizada.

 

3. Por que são necessárias tantas vacinas e tantas doses para imunizar as crianças?

O bebê, ao nascer, tem um sistema imunológico imaturo, contando com a proteção que ele recebe por anticorpos maternos, principalmente por meio da amamentação. Essa imaturidade do sistema imune faz com que o bebê seja mais suscetível às doenças infecciosas nos primeiros meses de vida.

Por isso o calendário vacinal do bebê inclui uma gama de vacinas nesse período, com o intuito de ensiná-lo a produzir anticorpos contra as principais doenças para a faixa etária. Cada uma delas com um esquema vacinal específico e, muitas vezes, são necessárias mais de uma dose de cada vacina para que a resposta imune seja atingida adequadamente.

É importante os pais estarem sempre atentos para que a vacinação no primeiro ano de vida seja feita no momento e nos esquemas adequados! Só assim o seu bebê estará protegido contra doenças infecciosas.

 

4. Como os pais podem contribuir para que as vacinas tenham melhor efetividade e deem proteção maior para o bebê?

Quando os pais entendem a importância da vacinação e, principalmente, mantêm o calendário vacinal da criança em dia, eles estão contribuindo para que o filho tenha uma vida saudável. E, dessa forma, possa curtir cada experiência, crescendo protegido contra doenças importantes, como a meningite, a pneumonia, a coqueluche, o sarampo e a poliomielite.

Muitos pais têm receio da picada que a criança vai receber ou dos efeitos adversos da vacina. É importante saber que tais efeitos, se ocorrerem, são leves na maioria das vezes e, certamente, menos graves do que efeitos que a doença pode causar.

A crença popular, muitas vezes, leva diversas pessoas a acreditar que a vacina não pode ser tomada em algumas situações. No entanto, seja uma criança, um adolescente, um adulto ou um idoso, são raras as situações onde a vacinação deve ser adiada.

Consulte sempre o médico. Ele é o profissional capacitado para esclarecer dúvidas e oferecer a melhor orientação.

As experiências vividas nos primeiros anos de vida são fundamentais para a formação do adulto que o bebê será no futuro. Por isso, é muito importante que as crianças cresçam em um ambiente saudável, cercadas de afeto e com liberdade para brincar, livres de doenças que podem ser evitadas pela vacinação.

DÚVIDAS SOBRE VACINAÇÃO - vacina da Pfizer e BioNTech contra Covid-19

 

1. Qual é o mecanismo de ação da vacina da Pfizer e BioNTech contra a covid-19, como ela funciona?

A vacina é baseada em mRNA. Ela usa RNA mensageiro sintético, que auxilia o organismo do indivíduo a gerar anticorpos contra o vírus e pode ser desenvolvida e fabricada mais rapidamente do que as vacinas tradicionais. A técnica, na qual apenas um pedaço de material genético é usado em vez de todo o vírus, é inovadora.

A Pfizer selecionou essa tecnologia de vacina baseada em RNA devido ao seu potencial de alta resposta, segurança e capacidade de rápida produção. A tecnologia de mRNA pode ainda ser estratégica para cenários de pandemias e epidemias devido à agilidade em modificação do antígeno codificado, caso necessário, bem como a potencialidade de realização de doses de reforço.

 

2. Quais são as características da tecnologia de vacina com RNA mensageiro sintético?

A vacina da Pfizer e BioNTech contra a covid-19 é baseada no RNA mensageiro, ou mRNA, que ajuda o organismo a gerar a imunidade contra o coronavírus, especificamente o vírus SARS-CoV-2.

O mRNA sintético dá as instruções ao organismo para a produção de proteínas que são encontradas na superfície do vírus. Uma vez produzidas no organismo, essas proteínas (ou antígenos) estimulam a resposta do sistema imune, resultando, assim, potencialmente em proteção para o indivíduo que recebeu a vacina.

 

3. Os resultados dos estudos da vacina da Pfizer e BioNTech contra a covid-19 foram positivos?

Sim, os resultados dos estudos de fase três, envolvendo mais de 44 mil voluntários e já publicados em revista científica qualificada, mostraram que, globalmente, a eficácia da vacina contra a COVID-19 foi de 95%, com esquema de duas doses num intervalo de 21 dias entre as doses. Os dados demonstraram também que a vacina foi bem tolerada, sendo que nenhuma preocupação séria de segurança foi observada.

 

4. A Pfizer já pediu aprovação de sua vacina contra a covid-19 junto à Anvisa?

Sim, em 23 de fevereiro de 2021, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), concedeu o registro definitivo à vacina para prevenção da covid-19 desenvolvida em parceria pelos laboratórios Pfizer e BioNTech. O registro definitivo é a comprovação de que a segurança, qualidade e eficácia da vacina foram analisadas e atestadas pela equipe técnica da Anvisa.

 

5. Quando a vacina da Pfizer e BioNTech contra covid-19 estará disponível no Brasil?

Em 23 de fevereiro de 2021, a Anvisa concedeu o registro definitivo à vacina para prevenção da covid-19 desenvolvida em parceria pelos laboratórios Pfizer e BioNTech. No mês seguinte, em 19 de março, a Pfizer assinou com o Governo Federal um contrato que prevê a entrega de 100 milhões de doses até o final de 2021. A entrega das doses da vacina foi iniciada no segundo trimestre de 2021.

 

6. Ainda posso participar do estudo da vacina da Pfizer e BioNTech contra covid-19?

Infelizmente não, já finalizamos o recrutamento de pacientes para o estudo de fase três no Brasil da vacina contra covid-19.

 

7. Como faço para ser voluntária no estudo de gestantes da vacina da Pfizer contra covid-19?

Pfizer e BioNTech anunciaram que o ensaio clínico global para avaliar a segurança, tolerabilidade e imunogenicidade de sua vacina contra covid-19 em mulheres grávidas foi iniciado e a Pfizer planeja incluir o Brasil nesses estudos.

Seguindo todos os procedimentos legais e éticos envolvidos na condução de estudos clínicos, estamos trabalhando na documentação requerida para avaliação junto aos órgãos regulatórios brasileiros.

Reforçamos que o início do recrutamento de voluntárias e, portanto, do estudo, está condicionado, ou seja, só será permitido com a aprovação dessas entidades. De modo que nesse momento não dispomos de mais informações.

 

8. Como fazer para cadastrar meu filho menor de 16 anos como voluntário do estudo em crianças da vacina da Pfizer contra covid-19?

Nesse momento, a Pfizer optou por seguir o estudo no grupo etário pediátrico apenas em centros de pesquisa nos Estados Unidos. Em função disso, não temos confirmação e, portanto, previsão que esses estudos sejam ampliados para voluntários brasileiros.

 

9. Como posso fazer para comprar a vacina da Pfizer contra covid-19?

Globalmente, a Pfizer decidiu que desenvolveu em parceria com a BioNTech contra a covid-19 é um bem que deve ser oferecido à população em geral. Por isso destinou seus esforços para negociações com os governos federais de todo o mundo. Neste momento, a companhia não pretende comercializar sua vacina no mercado privado, ou com estados e municípios.

 

10. Quais os requisitos para armazenamento da vacina da Pfizer contra covid-19?

A vacina pode ser armazenada a temperatura de -90º C a -60º C por até seis meses. Para possibilitar o transporte aos diferentes países ou locais de aplicação, a Pfizer desenvolveu uma embalagem com potencial de armazenamento na temperatura necessária à base de gelo seco.

Na embalagem desenvolvida pela Pfizer, os frascos de vacina podem ser mantidos por até 30 dias, desde que a correta manutenção do gelo seco seja realizada. A vacina pode ainda ser mantida no refrigerador comum por até cinco dias, entre 2 a 8º C.

 

11. Onde posso acessar mais informações sobre a vacina da Pfizer e BioNTech contra covid-19?

Para esclarecimentos sobre indicação, modo de uso, contraindicações e composição, clique aqui e acesse a bula da vacina da Pfizer e BioNTech contra covid-19.

 

12. Qual a capacidade de produção da Pfizer para sua vacina para prevenção da covid-19 desenvolvida em parceria com a BioNTech?

Com base nas projeções atuais, esperamos produzir até 2 bilhões de doses até o final de 2021. Uma vez aprovada para uso, conforme as autoridades regulatórias pertinentes, as doses disponíveis serão alocadas nos países com os quais firmamos acordos de fornecimento.

A alocação das doses às populações elegíveis dentro de cada país será uma decisão dos governos locais, baseada nas orientações das autoridades responsáveis. Estamos comprometidos a trabalhar em colaboração com os governos para apoiar essa necessidade de saúde pública.

 

13. Como saber mais sobre covid-19 e prevenção?

Sugerimos que converse sempre com seu médico, mas você também pode encontrar mais informações sobre covid-19 no website da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Referências das respostas para as dúvidas sobre vacinação:

Mecanismo de ação, eficácia, segurança, tipos de vacina e importância delas

 

O bebê e as vacinas

 

Vacina da Pfizer e BioNTech contra Covid-19

 

Voltar à Página Principal