Pfizer e BioNTech unem esforços para desenvolver possível vacina contra covid-19

As empresas desenvolverão, em conjunto, a vacina BNT162 da BioNTech baseada em mRNA para prevenção do covid-19

A parceria visa acelerar o desenvolvimento global da BNT162, utilizando o conhecimento e os recursos das duas companhias

Fundamentada no acordo de 2018 para o desenvolvimento conjunto de uma vacina baseada em mRNA contra influenza

A Pfizer e a BioNTech anunciaram que as empresas firmaram um acordo para o desenvolvimento e distribuição conjunta (exceto na China) de uma potencial vacina baseada em mRNA contra coronavírus, com o objetivo de prevenir infecções por covid-19. As empresas firmaram um Acordo de Colaboração e Transferência de Material para permitir que ambas comecem a trabalhar juntas imediatamente.

O trabalho conjunto visa acelerar a implementação de um potencial programa inédito de vacina baseada em mRNA contra o covid-19, a BNT162, cujos testes clínicos devem ser iniciados até o final de abril de 2020. O rápido avanço desta  ação tem como base a parceria para desenvolvimento e pesquisa que as duas empresas celebraram em 2018 para o desenvolvimento de vacinas baseadas em mRNA para prevenção de influenza.

“Temos orgulho dessa relação contínua e bem-sucedida com a BioNTech, que possibilita a mobilização de recursos coletivos com grande agilidade diante deste desafio mundial,” afirmou Mikael Dolsten, Diretor Científico Geral e Presidente Mundial de Pesquisa, Desenvolvimento e Assuntos Médicos da Pfizer. “Acreditamos que, ao unirmos as capacidades da Pfizer de desenvolvimento, regulatórias e comerciais com a tecnologia e expertise da BioNTech em vacinas baseadas em mRNA de uma das líderes da indústria, reforçamos nosso compromisso de fazer tudo o que pudermos para combater esta progressiva pandemia o mais rapidamente possível.”

“Esta é uma pandemia mundial, que requer um esforço global. Unindo forças com a Pfizer, podemos acelerar o trabalho de apresentar uma vacina contra o covid-19 para as pessoas em todo o mundo,” reforçou Ugur Sahin, um dos fundadores e CEO da BioNTech. 

As empresas esperam utilizar unidades de pesquisa e desenvolvimento de ambas, inclusive nos Estados Unidos e na Alemanha, para abrigar as atividades identificadas pelo acordo de colaboração.A parceria será iniciada imediatamente após a finalização de detalhes internos entre as duas empresas. 

No último dia 13 de março, a Pfizer apresentou um plano com cinco medidas convocando a indústria farmacêutica a se unir em um compromisso de colaboração sem precedentes para o combate ao covid-19.