Dia Mundial da Luta Contra o Câncer: a importância da prevenção

Mulher com cabelo raspado e punho ao alto, representando a luta contra o câncer

Muitas vezes silencioso, o câncer é considerado um dos principais problemas de saúde pública no mundo todo. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o mundo registrou um crescimento de 20% nos casos de câncer na última década e a doença já está entre as quatro principais causas de morte antes dos 70 anos de idade na maioria dos países. O Dia Mundial da Luta Contra o Câncer, celebrado no dia 8 de abril, é uma data que procura reverter esse quadro por meio de campanhas que incentivam a prevenção da doença.

A luta contra o câncer começa na conscientização

Alguns possíveis fatores para o aumento da incidência e da mortalidade por câncer são o envelhecimento e o crescimento da população, além de fatores como o tabagismo, alcoolismo e obesidade.

As campanhas realizadas no Dia Mundial de Luta Contra o Câncer, buscam divulgar que a doença é tratável e curável, especialmente quando detectada nos estágios iniciais. Este dia coloca em destaque a necessidade de ações urgentes para incentivar bons hábitos de saúde, que podem ajudar na prevenção do câncer, e o acompanhamento médico regular para o rastreamento da doença e detecção precoce.

Hábitos que aumentam os fatores de risco para desenvolver algum tipo de câncer

Os fatores de risco são hábitos ou aspectos ambientais e hereditários que, isolados ou combinados entre si, tendem a aumentar a possibilidade de uma pessoa saudável desenvolver uma doença. Por exemplo, excesso de álcool e tabagismo são desencadeadores de doenças cardiovasculares, além dos cânceres de boca. Da mesma forma, exposição solar sem proteção ou exposição a radiações contínuas podem ser responsáveis pelo aparecimento do câncer de pele

Saiba mais sobre alguns fatores de risco para o câncer:

  • Histórico familiar - existem famílias com mais predisposição a desenvolver câncer. Se entre seus familiares já ocorreram casos, é possível que você tenha herdado um gene com mutação genética e, por isso, é preciso ficar ainda mais atento;
  • Idade - algumas manifestações da doença são comuns apenas entre crianças, enquanto outras costumam aparecer em idosos, como resultado de um processo cumulativo de fatores de risco durante a vida;
  • Genes e cromossomos - mutações genéticas são provenientes do nascimento ou geradas por situações do cotidiano – e podem ter relação com o aparecimento de alguns tipos de câncer. Por exemplo, como resultado da exposição solar inadequada e excessiva, contato constante com componentes químicos tóxicos e a presença de radiação, uma pessoa pode desenvolver câncer;
  • Fatores ambientais - ar e água contaminados com poluentes, como gases, radiações e substâncias químicas, aumentam os riscos de desenvolvimento de câncer nos habitantes da região;
  • Dieta - uma alimentação não balanceada, que inclui alimentos com alto teor de gorduras insaturadas e açúcares (substâncias muito presentes em alimentos industrializados) podem desencadear câncer e estão diretamente relacionadas à obesidade, outro fator de risco;
  • Infecções - alguns agentes infecciosos como vírus e bactérias estão ligados a tipos de câncer. O papilomavírus humano (HPV), por exemplo, é causador do câncer de colo de útero  em mulheres e do câncer de pênis em homens. O HIV pode ser responsável pelo desenvolvimento de câncer no sangue, enquanto os vírus das hepatites B e C podem causar câncer de fígado;
  • Medicamentos - o uso excessivo ou contínuo de alguns remédios está ligado ao desenvolvimento de alguns tipos de câncer. Por exemplo, hormônios femininos presentes em contraceptivos ou no tratamento da menopausa podem favorecer o aparecimento de câncer de mama . A testosterona e outros hormônios masculinos também estão ligados a casos de câncer de fígado.

 

É tomando consciência desses fatores de risco que uma pessoa pode alterar hábitos e se manter atenta a predisposições hereditárias, a fim de prevenir o câncer.

Bons hábitos de saúde que ajudam na prevenção do câncer

A luta contra o câncer começa na prevenção. Confira alguns hábitos saudáveis, que contribuem na diminuição do risco de desenvolver a doença. 

  • Não fume;
  • Evite o excesso de consumo de bebidas alcoólicas;
  • Alimente-se de maneira saudável, com alimentos frescos e ricos em nutrientes, como frutas, legumes, verduras, cereais e leguminosas. Evite alimentos ultraprocessados; 
  • Pratique atividades físicas. Ser fisicamente ativo proporciona um corpo saudável e contribui para a prevenção do câncer e de outras doenças crônicas;
  • Amamente. Alimento saudável para o bebê, o leite materno protege as crianças da obesidade infantil e a amamentação previne o câncer de mama nas mães; 
  • Faça os exames de acompanhamento, como a mamografia anual para mulheres acima de 40 anos, o Papanicolau a cada três anos para mulheres entre 25 e 64 anos, que já iniciaram a atividade sexual e o exame de toque retal para homens para homens acima de 50 anos;
  • Evite a exposição excessiva e desprotegida da radiação solar. Use sempre protetor solar, chapéu e outros objetos que protegem contra os raios solares. Procure ficar longe do sol entre as 10 e as 16 horas;
  • Evite a exposição a substâncias tóxicas no dia-a-dia, seja em casa ou no trabalho;
  • Vacine-se. Meninas de 9 a 14 anos e os meninos de 11 a 14 anos devem se vacinar contra o HPV. Jovens e adultos também podem se vacinar contra a hepatite B.

 

O INCA possui materiais que ajudam a população a manter uma rotina com hábitos saudáveis para a luta contra o câncer. Entre na página e acompanhe as dicas do desafio de 21 dias para a sua saúde.


A importância do acompanhamento médico regular na luta contra o câncer
A prevenção do câncer engloba duas etapas: a primária e a secundária. Enquanto a prevenção primária busca impedir o desenvolvimento da doença por meio da adoção de hábitos saudáveis, como os citados acima, a secundária procura detectar e tratar doenças pré-malignas (por exemplo, a lesão causada pelo vírus HPV) ou cânceres assintomáticos iniciais.

Desse modo, além de manter hábitos saudáveis e evitar fatores de risco, o acompanhamento médico regular é essencial para que sinais e sintomas sejam identificados em estágios iniciais. Realizar exames de rotina, como a mamografia, junto a um profissional da saúde, ajuda no diagnóstico precoce e aumenta as taxas de recuperação dos pacientes.

Os 5 tipos mais incidentes de câncer na população

A página de estimativas do INCA aponta que em 2018, última análise de dados publicada, foram 18 milhões de novos casos de câncer no mundo e 9,6 milhões de mortes. 

A doença pode atingir diversas partes do corpo e cada órgão pode apresentar diferentes tipos de tumor, em manifestações mais leves ou mais agressivas. No entanto, as mais comuns no Brasil, com exceção do câncer de pele não-melanoma, são:

  1. Câncer de próstata 
  2. Câncer de mama 
  3. Câncer de cólon e reto 
  4. Câncer de estômago 
  5. Câncer na cavidade oral. 

 

Referências: 

 

 

PP-IBR-BRA-0597