Mês da doação de sangue: seja um doador e ajude a salvar vidas

mulher doando sangue

Junho é o mês da conscientização para a doação de sangue e a campanha nacional intitulada “Junho Vermelho” tem como objetivo destacar a importância e estimular este ato de solidariedade. O procedimento é simples e rápido e estima-se que uma única doação pode salvar até quatro vidas. Porém, atualmente, os estoques dos bancos de sangue estão mais baixos do que durante o período crítico da pandemia, o que é preocupante. Saiba quais são os requisitos para doar sangue, onde e como fazer a sua doação.

Qual a importância da doação de sangue?

A doação de sangue possibilita que pessoas com doenças crônicas graves, como anemia falciforme e talassemia (anemias crônicas de origem hereditária), que necessitam transfusão de sangue, vivam por mais tempo e com mais qualidade. Além disso, o ato é essencial para possibilitar a reposição de sangue perdido em cirurgias ou acidentes.

No entanto, somente 1,9% dos brasileiros são doadores de sangue, enquanto o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é que o número de doadores seja de 3% a 5% em relação ao total da população.

Além disso, com a chegada do inverno e a queda da temperatura, as doações tendem a diminuir ainda mais.

É importante e necessário adotar uma cultura solidária de doação de sangue regular e espontânea para manter os estoques dos bancos de sangue sempre abastecidos e não apenas em datas específicas ou quando alguém conhecido precisar.

Quais são os requisitos para doar sangue?

Existem normas nacionais e internacionais estabelecidas para oferecer segurança e proteção a quem recebe e doa o sangue. Por isso, há alguns requisitos básicos para ser um doador de sangue, veja quais são:

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos. Menores de 18 anos precisam de autorização por escrito do responsável;
  • Pesar no mínimo 50kg;
  • Estar descansado (ter dormido no mínimo durante seis horas nas últimas 24 horas);
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação);
  • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial, como Carteira de Identidade (RG) ou cópia autenticada; Cartão de Identidade de Profissional Liberal; Carteira de Trabalho e Previdência Social; Carteira Nacional de Habilitação, digital ou física; Registro Nacional de Estrangeiro (RNE); Título de Eleitor Digital, desde que tenha a foto, ou Passaporte brasileiro com filiação.


Atenção! É preciso respeitar os intervalos entre cada doação. Veja o período recomendado:

  • Homens - 60 dias (máximo de quatro doações nos últimos 12 meses);
  • Mulheres - 90 dias (máximo de três doações nos últimos 12 meses).

Qual o passo a passo da doação de sangue?

No dia da doação de sangue, tenha os seguintes cuidados:

  • Consuma alimentos leves, não é possível doar sangue em jejum;
  • Evite alimentos gordurosos antes da doação;
  • Hidrate-se.


Quando chegar ao posto de coleta, haverá as seguintes etapas:

Cadastro - na recepção, será feito um cadastro a partir dos seus dados pessoais. Por isso, é imprescindível levar um documento de identidade com foto.

Triagem clínica - após o cadastro, você fará uma entrevista para avaliar as suas condições de saúde e os riscos para a pessoa que vai receber. Essa etapa é necessária porque existem questões que podem ser identificadas na entrevista clínica e não podem ser detectadas por testes laboratoriais.

Coleta de sangue - a coleta dura em torno de 15 minutos. Ela é feita com material esterilizado, descartável e não apresenta nenhum risco para o doador.

Após a doação de sangue - após a coleta, é importante que o doador continue se sentindo bem durante o dia. Siga as seguintes recomendações: 

  • Alimente-se e hidrate-se;
  • Evite esforços físicos exagerados pelas 12 horas seguintes;
  • Não fume pelas duas horas seguintes;
  • Evite bebidas alcoólicas pelas 12 horas seguintes;
  • Não dirija veículos de grande porte, não trabalhe em atividades arriscadas, como subir em andaimes, nem pratique atividades radicais, como paraquedismo ou mergulho.

Onde fazer a doação de sangue?

O Brasil dispõe de 32 hemocentros públicos, pelo menos um em cada estado, além de outras instituições que recebem doações de sangue e ajudam a abastecer os serviços de saúde.

Há inúmeros postos de coleta de sangue espalhados pelo país. Com certeza existe um perto da sua região. Em determinados postos, é possível fazer o agendamento online da sua doação. Veja alguns hemocentros localizados em grandes centros e se informe:

Pró Sangue  - SP;
Hemorio  - RJ;
Hemocentro de Belo Horizonte  - MG;
Hemoes  - ES;
Hemoce  - CE;
Hemopa  - PA;
Hemogo  - GO;
Hemepar  - PR.

Existe algum impedimento para fazer doação de sangue?

Há algumas condições temporárias que impedem que você doe sangue em um período determinado. Veja quais são:

  • Resfriado - aguardar sete dias após desaparecimento dos sintomas;
  • Gravidez e puerpério - gestantes não podem doar. É necessário aguardar 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;
  • Amamentação - mulheres que estão amamentando devem esperar 12 meses após o parto; 
  • Ingestão de bebida alcoólica - não beber nas 12 horas anteriores à doação;
  • Tatuagem, maquiagem definitiva e micropigmentação - aguardar 12 meses; se feitas em local seguro e com todos os cuidados necessários (assepsia correta e material descartável), o prazo é de seis meses;
  • Situações com maior risco de adquirir infecções sexualmente transmissíveis - aguardar 12 meses;
  • Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia e rinoscopia) - aguardar seis meses;
  • Extração dentária ou tratamento de canal - aguardar sete dias;
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral - aguardar quatro semanas;
  • Acupuntura - se for feita com material descartável, aguardar 24 horas; se realizada com material sem condições de avaliação, aguardar 12 meses. Acupuntura com laser ou sementes não é impeditivo para doação;
  • Vacina contra gripe - aguardar 48 horas;
  • Herpes labial ou genital - aguardar o desaparecimento total das lesões.


Há algumas orientações para quem teve Covid-19, se relacionou com alguém infectado e/ ou se vacinou recentemente para o novo coronavírus. Veja o que fazer em cada uma das três situações:

  • Diagnóstico ou suspeita de Covid-19 - aguardar 10 dias após a recuperação completa;
  • Contato com alguém com Covid-19 - aguardar sete dias;
  • Vacinados para a Covid-19 - aguardar sete dias após cada dose, exceto quem tomou Coronavac ou Covaxin. Nestes casos, aguardar 48 horas.


Quem esteve em regiões do Brasil ou em países com alta incidência de malária deve aguardar 12 meses após o retorno para a doação de sangue. No caso de febre amarela, deve seguir as seguintes recomendações:

  • Pessoas que estiveram em regiões onde há surto de febre amarela - aguardar 30 dias;
  • Vacina para a febre amarela - aguardar quatro semanas após a aplicação;
  • Quem contraiu febre amarela - aguardar seis meses após a recuperação completa.


Alguns problemas de saúde que você tem ou teve impedem a doação de sangue de forma permanente. Veja as principais doenças:

  • Evidência clínica ou laboratorial de doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue - hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e doença de Chagas;
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis;
  • Malária;
  • Mal de Parkinson;
  • Hepatite após os 11 anos.

 


Referências

 

PP-UNP-BRA-0331