Como prevenir a hipertensão arterial com bons hábitos de saúde?

mulher tendo a pressão aferida

A pressão alta afeta 30% da população adulta no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O número de adultos entre 30 e 79 anos com hipertensão duplicou nas últimas décadas, passando de 650 milhões em 1990 para 1,28 bilhão em 2019. A doença é fator de risco para problemas graves, como AVC (acidente vascular cerebral), ataque cardíaco, doenças circulatórias e insuficiência renal.  Mas é possível controlar e prevenir a hipertensão por meio da adoção de hábitos de vida saudáveis. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é a hipertensão arterial? 

A hipertensão arterial, também conhecida como pressão alta, é uma condição de saúde crônica, sem cura, na qual a força do sangue contra a parede das artérias é muito grande. O quadro é diagnosticado quando a pressão se mantém frequentemente acima de 140×90 mmHg (milímetro de mercúrio), popularmente conhecida como 14/9. 

É importante ir ao médico regularmente para medir a pressão, porque a doença geralmente não causa sintomas. Quando eles aparecem, podem incluir dor de cabeça, tonturas, falta de ar, palpitações e alteração na visão.

Quais as principais causas da hipertensão arterial?

A hipertensão não tem uma causa específica, mas alguns fatores podem favorecer o aparecimento da doença, especialmente naqueles que têm uma tendência hereditária para desenvolvê-la. Os fatores de risco incluem: 

  • Grande consumo de sódio (sal) nas refeições;
  • Sobrepeso e obesidade;
  • Sedentarismo (falta de prática de atividades físicas);
  • Estresse;
  • Tabagismo;
  • Excesso de consumo de bebidas alcoólicas.

Como prevenir a hipertensão arterial?

Um estilo de vida saudável ajuda a manter a pressão arterial em níveis saudáveis – tanto para quem não sofre com hipertensão, mas quer preveni-la, quanto para quem já foi diagnosticado com o quadro. As principais recomendações incluem:

Adote uma alimentação saudável - procure ter uma dieta composta por frutas, legumes, verduras, cereais integrais e carnes magras. Além disso, evite comidas gordurosas e limite o consumo de alimentos industrializados. Outra medida importante é moderar a ingestão de álcool.

Reduza o consumo de sal – diminua a adição de sal na hora de preparar os alimentos e procure não adicionar mais sal ao seu prato, buscando sempre substituir por temperos naturais. Também é importante ter cuidado com produtos em conserva, embutidos, salgadinhos, biscoitos recheados, alimentos processados, refrigerantes, queijos amarelos e temperos prontos.

Pratique exercício físico regularmente – a prática de exercícios físicos ajuda a controlar a pressão arterial e a combater o excesso de peso – outro fator de risco para a hipertensão. Mas, para sua segurança, é indispensável obter a autorização do médico antes de começar. Além disso, comece devagar, dedicando de 30 a 45 minutos por dia, de três a cinco vezes por semana. Atividades aeróbicas, como caminhar ou pedalar, são as mais indicadas, mas a musculação também é ótima para prevenir a hipertensão. Para manter a regularidade, a dica é escolher uma modalidade que você goste. 

Não fume - esse hábito aumenta a pressão arterial e o risco de ataque cardíaco e derrame. Se você fuma, seu médico pode sugerir estratégias para ajudar você a parar. 

Diminua o estresse - o estresse excessivo pode desencadear diversas doenças, dentre elas a hipertensão arterial. Para reduzi-lo, procure dormir bem, praticar exercícios físicos e fazer atividades relaxantes. 

Para o tratamento da hipertensão, a depender do quadro de cada pessoa, o médico pode receitar medicamentos. Eles são comumente disponíveis de forma gratuita em postos de saúde públicos, geridos pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Independentemente do tratamento medicamentoso, mudanças no estilo de vida, para que o paciente tenha uma rotina mais leve e saudável, são sempre recomendadas.  

Quais são as possíveis complicações da hipertensão arterial?

Em longo prazo, o aumento da pressão arterial sem o devido tratamento é capaz de causar a perda gradual da visão, podendo até ocasionar a cegueira completa. Isso ocorre pela doença também influenciar alterações nas artérias da retina.

Além disso, o quadro é considerado fator de risco para outros quadros perigosos para a saúde, como AVC (acidente vascular cerebral), ataque cardíaco, demência vascular e insuficiência renal.

Para quem foi diagnosticado com a doença, mas segue os tratamentos recomendados pela equipe de saúde, os riscos diminuem consideravelmente e o paciente consegue ter uma boa qualidade de vida.

 

Conteúdos relacionados

 

Referências: 

 

PP-UNP-BRA-0147