Por que o controle da asma é importante na pandemia de covid-19?

Jovem usando bombinha para asma, uma das formas de ajudar no controle da asma

A asma é uma doença crônica, sem cura, que causa inflamação nas vias aéreas, deixando-as inchadas e sensíveis ao entrar em contato com poeira, mofo, fumaça de cigarro, entre outros. Um dos principais sintomas da doença, que atinge cerca de 20 milhões de brasileiros, é a dificuldade para respirar. Em época de pandemia de coronavírus, questões são levantadas sobre a interação entre asma e covid-19, como “pessoas com asma têm mais chances de ter complicações graves?”. Saiba a resposta a dúvidas como essa e o que fazer para manter o controle da asma:

O que a asma pode causar e quais as suas complicações?

A asma pode se manifestar em qualquer idade da vida, desde a infância e até em idosos que nunca tiveram nenhuma crise da doença. Não se sabe exatamente o que causa a asma, mas histórico familiar de alergias respiratórias e fatores ambientais podem contribuir para o desenvolvimento da doença, que causa:

  • Dificuldade para respirar;
  • Falta de ar;
  • Aperto no peito;
  • Tosse;
  • Chiado no peito.

 

Os sinais e sintomas começam ou pioram quando a pessoa com asma é exposta a elementos irritantes, que podem variar, tais como:

  • Poluição;
  • Fungos;
  • Ácaros;
  • Pólens;
  • Pelos de animais de estimação;
  • Cheiros fortes de perfume ou produtos químicos;
  • Ar frio e seco;
  • Infecções virais, como resfriado e gripe.

 

A intensidade das crises varia de pessoa para pessoa e de acordo com o controle da asma - que depende do conhecimento da doença, acompanhamento médico e adesão ao tratamento. Em casos graves, a asma pode causar dificuldade em fazer as tarefas do dia a dia, falta de ar a ponto de precisar de ventilação e até a morte. Cerca de 350 mil internações no SUS por ano acontecem devido à complicações da asma.

Controle da asma – O paciente asmático tem mais chances de desenvolver a forma grave da covid-19?

No início da pandemia de coronavírus, em 2020, o grupo de pacientes com asma foi incluso na lista de pessoas com comorbidades. Acreditava-se que, por a asma provocar um quadro de inflamação no corpo e ser crônica, ela poderia deixar os pacientes asmáticos mais suscetíveis às formas graves da covid-19. 

No entanto, estudos em várias partes do mundo, incluindo o Brasil , descobriram que a maioria dos pacientes com asma não tiveram um quadro pior na evolução da Covid-19 em comparação aos pacientes sem asma. Os índices de mortalidade também foram semelhantes. Mas é importante se atentar a três fatos:

  • Os estudos se referem a pessoas com forma leve a moderada da asma, com a doença sob controle;
  • Pessoas com a forma grave da asma, crises recorrentes e/ou que não fazem o tratamento adequado estão mais sujeitas a complicações da Covid-19;
  • Embora algumas doenças aumentem as chances de complicações, a Covid-19 também se manifesta de forma grave em pessoas sem quaisquer comorbidades.

 

Controle da asma – Importância da vacinação para o paciente asmático se proteger da Covid-19

A asma está na lista de comorbidades previstas pelo Ministério da Saúde como prioritárias para a vacinação contra a Covid-19. Aderir à imunização é a maneira mais segura de prevenção do coronavírus.  

Então, mesmo pacientes com asma leve, que não têm sinais e sintomas frequentes, devem seguir o calendário de vacinação corretamente. Isso porque, para que a imunização seja efetiva para conter uma pandemia, a maior parte da população precisa estar vacinada. Quando alguém desiste de se vacinar dentro calendário previsto pelo município ou estado, acaba contribuindo para o atraso da imunização coletiva, além de ter mais chances de se infectar. 

  • Atenção! Mesmo após se vacinar, até que a maior parte da população esteja imunizada e a covid-19 sob controle, é necessário manter todos os cuidados recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – distanciamento social, higiene das mãos com álcool 70% ou água e sabão e uso correto de máscaras ao sair de casa.

 

Como manter o controle da asma e evitar crises

O controle da asma depende de duas frentes

  •  Adotar hábitos dentro e fora de casa para evitar o desencadeamento de crises;
  •  Seguir o acompanhamento médico, que pode incluir medicamentos.

 

Hábitos de vida fora de casa para ajudar no controle da asma

  • Evitar a exposição a lugares com muita poeira, fumaça e poluição; 
  • Não fumar e evitar ficar perto de pessoas que fumam;
  • Manter-se agasalhado, especialmente em época de frio;
  • Evitar a exposição a ambientes com cheiro forte;
  • Praticar exercícios físicos regularmente, sob orientação médica.

 

Hábitos dentro de casa para ajudar no controle da asma

  • Não permitir que fumem em espaços fechados;
  • Deixar animais domésticos do lado de fora, se forem agentes irritantes;
  • Evitar juntar pó e sujeira;
  • Forrar colchões e travesseiros com material impermeável;
  • Evitar bichinhos de pelúcia, almofadas, tapetes pois costumam fixar ácaros, que provocam alergias;
  • Evitar o uso de carpetes.

 

Tratamentos medicamentosos para controle da asma

Devem ser usados somente sob prescrição médica. Os mais comuns são os medicamentos anti-inflamatórios inaladores, as famosas “bombinhas”, de uso contínuo, que servem para ajudar a controlar as crises asmáticas, além de medicamentos para dilatar os brônquios, que ajudam a aliviar os sintomas mais fortes.


Referências:


 

 

PP-PFE-BRA-3590