Existe mais de um tipo de dor de cabeça e enxaqueca?

mulher com dor de cabeça

Quase todo mundo já teve dor de cabeça pelo menos uma vez na vida. Estimativas indicam que até 75% dos adultos em todo o mundo sofreram com o mal ao longo de um ano. Pode ser um desconforto passageiro ou uma dor latejante que parece não ter fim, e pode surgir inclusive como consequência de outra doença. Saiba o que diferencia dor de cabeça de enxaqueca, quais são os principais tipos de cada uma e como tratá-las.

Qual a diferença entre dor de cabeça e enxaqueca?

Dor de cabeça é o nome dado a qualquer cefaleia. A mais comum é do tipo tensional, provocada por estresse, e que também pode ser uma consequência de outro problema de saúde, como a hipertensão. A dor de cabeça é causada por interações entre cérebro, vasos sanguíneos e nervos. Um mecanismo desconhecido, gerado por algum gatilho, ativa nervos específicos do corpo que afetam músculos e vasos sanguíneos e enviam sinais de dor para o cérebro. Já a enxaqueca é um tipo de dor de cabeça, mas não é o único.

A enxaqueca, que afeta 15% da população no Brasil, é uma condição crônica caracterizada por uma dor mais forte, geralmente latejante, de um ou dos dois lados da cabeça. As causas não foram totalmente esclarecidas, mas estudos apontam para uma reação exagerada de células nervosas instáveis a alguns gatilhos. Essas células enviam impulsos para os vasos sanguíneos e causam alterações químicas no cérebro, o que gera uma dor incapacitante.

O que desencadeia dor de cabeça e enxaqueca?

Existem alguns fatores, chamados de gatilhos, que podem desencadear dor de cabeça e enxaqueca, como:

  • Uso de álcool;
  • Mudanças na alimentação ou no sono;
  • Depressão;
  • Estresse emocional;
  • Uso excessivo de medicamentos;
  • Ciclo hormonal;
  • Tensão nos olhos, pescoço ou costas causadas por má postura;
  • Iluminação;
  • Ruído;
  • Mudanças climáticas.

Quais são os principais tipos de dor de cabeça?

A dor de cabeça pode variar conforme as seguintes características:

  • Intensidade;
  • Localização;
  • Frequência;
  • Causa.


Dores de cabeça primárias

É quando a própria dor de cabeça é o problema, ou seja, ela não é sintoma de uma doença. As dores de cabeça primárias não representam um risco à saúde, mas podem ser incapacitantes. Elas são consequência da inflamação de partes do corpo sensíveis à dor e que ficam ao redor do pescoço e da cabeça, como nervos, veias e músculos. 

A enxaqueca é um tipo de dor de cabeça primária e também fazem parte desse grupo: 

Cefaleia tensional - é o tipo de dor de cabeça mais comum. Normalmente atinge a parte de trás da cabeça, as têmporas e a testa. Podem durar de horas a dias, coexistir com a enxaqueca, e uma pode transformar ou desencadear a outra. 

Dor de cabeça hípnica - é um tipo raro de dor de cabeça que afeta pessoas entre 40 e 80 anos e se manifesta somente no período da noite. Tende a ocorrer no mesmo horário a cada noite e a atingir a cabeça inteira.

Cefaleia em salvas - é um tipo de dor de cabeça que dura, geralmente, entre 20 minutos e duas horas. Atinge somente um lado da cabeça e, geralmente, causa outras alterações, como nariz entupido, lacrimejamento, pupila aumentada ou pálpebra caída. Costuma ocorrer várias vezes ao dia ao longo de algumas semanas e depois desaparece por um período variável de tempo. 


Dores de cabeça secundárias

Como o nome sugere, a dor de cabeça secundária é causada por outro problema de saúde, que desencadeia áreas sensíveis à dor no pescoço e na cabeça. São raras e podem ser muito graves. Geralmente começam sem nenhum motivo aparente e são bastante severas.

Dores de cabeça secundárias podem indicar doenças como: 

  • Hipertensão;
  • Tumores cerebrais;
  • Aneurisma;
  • Meningite (infecção bacteriana ou viral que causa inflamação do cérebro);
  • Lesões no pescoço ou no cérebro.

Quais são os principais tipos de enxaqueca?

A enxaqueca é um dos tipos de dor de cabeça mais comuns. A dor é de intensidade moderada a forte e, normalmente, afeta somente um lado da cabeça. Pode durar de duas horas a quatro dias, costuma ser uma dor latejante e vir acompanhada de outros desconfortos, como:

  • Náuseas e/ou vômitos;
  • Sensibilidade à luz e/ou som;
  • Alterações na visão (pontos luminosos, escuros e/ ou linhas em zig zag) que antecedem ou acompanham as crises de dor.


Veja os tipos de enxaqueca mais comuns:

Enxaqueca clássica ou com aura - dor de cabeça precedida por um sinal ou sintoma de alerta, como alterações na visão;
Enxaqueca comum ou sem aura - dor de cabeça que começa sem nenhum aviso prévio.

Existem outros tipos de enxaqueca que não são tão comuns, entre elas:

  • Enxaqueca complicada;
  • Enxaqueca hemiplégica;
  • Enxaqueca basilar;
  • Enxaqueca ocular;
  • Enxaqueca oftálmica;
  • Enxaqueca acefálgica. 

Como tratar dor de cabeça e enxaqueca?

Geralmente, dores de cabeça primárias não precisam de tratamento médico. Controlar níveis de tensão e estresse podem ser o suficiente.

Para combater as dores de cabeça secundárias, é necessário tratar a causa raiz do problema. Desta forma, é possível se livrar da dor ou, pelo menos, mantê-la sob controle.

Quanto à enxaqueca, é uma doença crônica, ou seja, não há cura, mas é possível controlá-la. Na maior parte dos casos, fazer algumas mudanças no estilo de vida pode ser o bastante, tais como: 

  • Ajustar o sono;
  • Ter uma alimentação equilibrada;
  • Fazer exercícios;
  • Evitar certos gatilhos (determinados alimentos e/ ou situações).


A enxaqueca muda ao longo do tempo e o que funciona durante um período pode não ser tão eficiente em outro. Além da alteração de alguns hábitos, pode ser que o médico indique medicamentos para serem usados durante as crises, como analgésicos ou vasodilatadores.

Atenção! Se você sente dor de cabeça com frequência, busque a orientação de um médico. Ele é o profissional indicado para avaliar o seu caso e estabelecer o tratamento mais adequado. Nunca se automedique.

 

Conteúdos relacionados

 

Referências

 

PP-UNP-BRA-0308