Artrite Reumatoide

Mulher com artrite reumatoide sentindo dor no joelho

A artrite reumatoide (AR) é uma doença inflamatória que afeta as articulações, causando um inchaço doloroso. A inflamação contínua das articulações pode evoluir para deformidades que limitam o paciente para a prática de atividades cotidianas e até atingir órgãos como coração, pele, olhos, pulmões e vasos sanguíneos.

A AR é uma doença autoimune, isto é, uma condição em que o sistema imunológico, que normalmente defende o nosso organismo contra infecções, ataca as articulações do próprio corpo. Ainda não há cura para ela.

Qualquer pessoa, desde crianças até idosos, tem risco de desenvolver a doença. Mas ela é mais comum em mulheres por volta dos 50 anos de idade. Alguns fatores podem aumentar as chances como o histórico familiar, exposição a poluição, hábito de fumar ou mesmo fatores hormonais.

Sinais e sintomas da artrite reumatoide

Os sintomas da artrite reumatoide podem incluir articulações inchadas, quentes e doloridas, geralmente acompanhada por rigidez, pela manhã. Outros sinais da AR também podem ser perda de peso, cansaço e febre.

A doença geralmente começa nas articulações menores do corpo, que ligam os dedos nas mãos e nos pés. Mas, com sua evolução, os sintomas passam a se manifestar também no joelho, cotovelo, punho, quadris, tornozelo e ombros.

Como diagnosticar a artrite reumatoide

O diagnóstico da AR geralmente é feito pelo reumatologista. O paciente deve contar ao especialista os sintomas que sente e dar informações sobre problemas médicos anteriores e sobre o histórico familiar de AR. O médico também pode solicitar exames de sangue e imagem nessa fase de identificação da doença.

Convivendo com a artrite reumatoide

Sendo a doença autoimune, o tratamento para a AR tem como objetivo minimizar os sintomas e também a evolução da doença, reduzindo os processos inflamatórios e prevenindo deformidades. Além da ingestão de medicamentos antirreumáticos, que regulam o sistema imune, também é indicado para os pacientes com AR a prática controlada de exercícios físicos, a fisioterapia e o controle nutricional, para evitar sobrepeso e colesterol alto.

O paciente deve ter o acompanhamento médico contínuo da evolução da artrite reumatoide, bem como os possíveis efeitos colaterais dos medicamentos e da diminuição ou aumento da dosagem da medicação.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1866